SEGUIDORES DO VENTO

Homens… Mulheres… Jovens… Adolescentes… Crianças… Famílias inteiras ou almas solitárias a vagarem sem destino estrada afora, como se o amanhã nem existisse e se o futuro fosse somente utopia distante e inatingível.  São eles, moradores de rua, andarilhos, tidos por muitos como: Malcheirosos, maltrapilhos, indigentes, escória social!  Alguns até… “EXs”… Pedreiros, carpinteiros, construtores, marceneiros, médicos, advogados, pais de família.

Todavia, desempregados, desiludidos, marginalizados, escorraçados, enfeitiçados, alcoolizados, drogados… São marcados por um passado sombrio que os visita no escurecer dos dias em pesadelos medonhos, variações, febre de espírito e alucinações tenebrosas… Já foram julgados e condenados pela culpa!

Quem os socorrerá? Quem terá a coragem de estender às mãos e lhes ofertar uma segunda chance?  Muitos deles esperam por isso a vida inteira! Nas ruas, eles são queimados, espancados, esbofeteados, processados, incriminados, injustiçados.  E olha que não estou falando simplesmente de “direitos humanos”, e sim, estou falando da covardia!

Alguns da sociedade se auto-intitulam “humanos” como se esse nome os outorgasse o direito de ignorar outros que por desventura estejam sofrendo à margem da vida e para essas pessoas, o egoísmo e a indiferença têm sido a principal bandeira. Pois, de posse do poder, nada fazes para frearem às diversas injustiças sociais.  Enquanto isso, muitos desses covardes têm aproveitado para se sobrepujarem à minoria.

Aqui e ali… Vagueando em círculos, vão seguindo o vento sem direção certa, sem sorte e sem ser… Em luto perpétuo, sempre, a cada amanhecer, sepultam as esperanças numa nova pancada da insana humanidade e sem norte, seguem os passos do tempo que nunca para em lugar algum e assim, vão se banhando nas lágrimas do acaso e da desgraça… Até quando? Até quando, talvez, alguém de coragem os perdoe e os estenda a mão, recolocando-os de volta no caminho do sol.

 

Paz e misericórdia!

 

 

 

Texto: Pr. Braulio Mendes.

Votuporanga, Setembro de 2012.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password