Secretaria de Saúde intensifica orientações contra escorpião

Manual de Controle de Escorpiões do Ministério da Saúde informa que a utilização de agentes químicos para dedetização é pouco eficaz; ações de limpeza e manejo ambiental são indicados.

O calor e a umidade característicos deste período do ano podem favorecer a reprodução de escorpiões. Manter os quintais e casas limpos e sem entulhos continua sendo a melhor maneira de evitar o aparecimento. A Secretaria Municipal da Saúde, por meio do Setor de Controle de Endemias e Zoonoses (Secez), realiza as ações de prevenção ao longo de todo o ano, como a busca ativa e intensifica as orientações junto à população.

De acordo com o Manual de Controle de Escorpiões do Ministério da Saúde (2009), a utilização de agentes químicos para dedetização é pouco eficaz. Isso se deve ao hábito dos escorpiões se abrigarem em frestas de paredes, embaixo de caixas, papelões e em locais onde muitas vezes o veneno não entra e não os atingem; somado a habilidade de sobrevivência que desenvolveram, que permanecem meses sem se movimentar e com seus estigmas pulmonares fechados por um longo período. “O que também torna os escorpiões resistentes ao veneno é o fato de permanecerem em abrigos naturais ou não, impedindo que o inseticida entre em contato”, afirma o Ministério da Saúde em texto do Manual.

Além disso, a aplicação de alguns tipos de inseticidas provoca o desalojamento dos escorpiões para locais não expostos à ação desses produtos. “O procedimento aumenta o risco de acidentes devido ao efeito irritante desses produtos que causa o desalojamento do animal e cria a falsa sensação de proteção por parte dos moradores que acreditam que o problema foi resolvido”, alerta o Manual.

Parque da Cultura

Nesta semana, técnicos do Secez realizaram uma intervenção pontual em todo espaço do Parque da Cultura, com ações envolvendo a busca ativa e o manejo ambiental. O objetivo era reconhecer possíveis locais de alojamento de escorpiões, com a finalidade de agir de modo preventivo ao aparecimento desses animais e evitando acidentes. No local, nenhum animal foi encontrado.

Ações Permanentes realizadas pelo município

Os agentes comunitários de saúde e de endemias realizam permanentemente orientações sobre o manejo ambiental durante as visitas de rotina aos moradores; ações importantes para evitar o surgimento de escorpiões, tais como, não acumular matéria orgânica (folhas, frutos e fezes de animais) e entulhos (telhas, tijolos, madeiras e restos de construção) nos quintais e terrenos; rebocar os muros; tapar os ralos durante a noite; verificar roupas, sapatos, móveis e utensílios de cama, mesa e banho antes de utilizá-los.

Como evitar

O coordenador do Setor de Controle de Endemias e Zoonoses, o biólogo Nilton Santiago diz que o manejo ambiental é a estratégia mais segura e eficaz para se evitar o surgimento dos animais. “O morador é responsável por manter sua casa limpa, organizada e em boas condições. Entulhos, materiais de construção, pedras e madeiras, constituem o ambiente ideal, com umidade e escuridão, propícios ao esconderijo dos escorpiões”, destaca.

Munícipes

Caso um munícipe encontre algum escorpião na residência ou local de trabalho, fazer contato telefônico também por meio do  0800 770 9786, para efetivar a notificação, mesmo que não ocorra acidentes. Dessa forma, o serviço terá condições de atender a cada um dos casos, por meio de orientações.

Acidentes

Na hipótese de picada a pessoa deverá lavar o local com água e sabão, sem torniquete, dirigindo-se imediatamente à UPA – 24h (Unidade de Pronto Atendimento) ou ao hospital “Fortunata Germano Pozzobon”, na zona norte.

Se for possível, capturar o animal e leva-lo ao serviço de saúde, pois a identificação da espécie do escorpião causador do acidente pode auxiliar no diagnóstico.

0 Comentários

Deixe um Comentário

1 + 11 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password