Secretaria da Saúde segue com ações de prevenção à febre amarela no Pozzobon

Unidades de saúde estarão abertas para vacinação, das 7h às 17h; ações de bloqueio e nebulização já foram iniciadas

A Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura começou nesta quarta-feira (29/11) estratégias de bloqueio e prevenção à febre amarela no bairro Pozzobon após encontrarem um macaco morto, possivelmente causada por eletrocussão, já que o animal estava preso à rede elétrica.

Devido ao alto estado de decomposição do primata, não foi possível coletar amostras para encaminhamento e análise do Instituto Adolfo Lutz – IAL, no entanto, por precaução as equipes de Vigilância intensificaram a vacinação e estão com equipes volantes percorrendo as casas da área norte para aplicar as doses gratuitamente.

Quem ainda não recebeu as doses também têm acesso às vacinas nas unidades de saúde “Dr. Jonas Pires Corrêa” e “Josephina Pirotello Pesciotto (Dona Nina)”, anexas ao Hospital do Pozzobon, das 7h às 17 horas. 

As ações em cerca de 200 metros no entorno dos casos suspeitos já foram iniciadas pelos agentes de saúde e de endemias, com o bloqueio e retirada de criadouros do Aedes Aegypti, transmissor da febre amarela; orientações sobre a doença e a nebulização.  

Este é quinto caso registrado pelas autoridades municipais, com a suspeita da morte por febre amarela neste mês de novembro em Votuporanga. Portanto, a Secretaria da Saúde alerta toda a população para que mantenha em dia a vacina contra o vírus. As doses são gratuitas e estão disponíveis em todas as unidades de saúde, de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h.

Ofertado pela rede pública de saúde, o atual esquema de vacinas para adultos ocorre com a aplicação de duas doses da vacina contra a febre amarela, sem a necessidade do reforço. Também contemplada pelo calendário de rotina infantil, aos bebês são disponibilizadas três doses, aos seis e nove meses de vida, e a última dose aos quatro anos. 

A enfermeira responsável pelo setor de imunização da Secretaria da Saúde Danieli Fortilli conta que as unidades de saúde possuem estoque da vacina para atender à demanda necessária. “Pedimos a adesão das pessoas nesta estratégia para que procurem a unidade de saúde mais próxima com a carteirinha de vacinação. Com o documento em mãos, o profissional de saúde terá condições de avaliar a necessidade do paciente para receber a vacina”.

De janeiro até agora 14,6 mil pessoas foram vacinadas em Votuporanga. 


Ações e Casos Suspeitos

A Secretaria Municipal de Saúde iniciou no feriado da Proclamação da República (15/11), uma mobilização emergencial preventiva contra a febre amarela após o registro da morte de quatro macacos nos bairros Santos Dumont, Cidade Nova e Cecap II. As equipes de profissionais de saúde reforçaram as estratégias de vacinação com a busca ativa da população não vacinada, a fim de garantir a proteção do maior número de pessoas. 

Dos cinco macacos encontrados mortos, três tiveram amostras coletadas para análise, para que se confirme ou descarte a morte dos animais pela doença. Nos demais casos, devido ao estado em que foram encontrados, não foi possível encaminhá-las ao IAL. 


Atenção

É importante destacar que os primatas não transmitem febre amarela e a Secretaria de Saúde pede o apoio da população para que não mate ou maltrate esses animais.  Na natureza, os primatas se comportam como sinalizadores da presença do vírus e quando aparecem doentes ou mortos, apresentam-se aí indícios de que os humanos também estão expostos.  Além disso, a matança de macacos gera um desequilíbrio ecológico e agrava a situação da febre amarela.

Maltratar, apreender ou perseguir animais silvestres configura crime ambiental (Lei Federal de Crimes contra o Meio Ambiente Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998). 

Se o morador encontrar algum macaco aparentemente adoentado, morto, ou já em estado de decomposição, ligar imediatamente para a Vigilância Ambiental, pelo 0800 770 9786. 


Prevenção

As pessoas devem ficar atentas e se vacinarem contra a febre amarela. Além disso, a prevenção da doença deve ser feita evitando a disseminação do mosquito transmissor. Recipientes como caixas dágua, latas e pneus com água parada são ideais para que a fêmea do mosquito deposite seus ovos, de onde nascerão larvas, e se tornarão mosquitos. Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Outras medidas de prevenção são o uso de repelente de insetos e mosquiteiros.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password