‘Se estava moiado pras motos, agora tá pior’, diz motoqueiro de racha

Motociclistas detidos por praticarem racha na rodovia Washington Luiz (SP-310), em Rio Preto, trocaram mensagens de celular – através do aplicativo WhatsApp – comentando a operação realizada pela Polícia Rodoviária Estadual, na noite de sábado, para coibir a disputa. No áudio, divulgado pela polícia, um colega dos motociclistas detidos diz que a ação policial não “perdoou ninguém”.

Ele fala: “Se estava ‘moiado’ pras motos em pista, agora tá pior ainda, tio. Os “caras” (polícia) vão cair matando, mesmo, operação monstra. Não perdoou ninguém, tio. Bateu geral em todo mundo (sic).

Imagens divulgadas pela Polícia Rodoviária Estadual, na segunda-feira, dia 1°, mostram que o velocímetro, de uma das motos, trava ao atingir 299 quilômetros por hora. Os motociclistas ultrapassam carros e caminhões. Um deles chega a fazer uma ultrapassagem pelo acostamento. Em cima do viaduto uma plateia assiste ao racha.

Intitulada “Cavalo de Aço”, a ação visa combater rachas na rodovia. O comando da Polícia Rodoviária está de olho nas disputas e realizava monitoramento havia alguns dias. A operação foi organizada a partir de uma denúncia na ouvidoria do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) informando que um racha ocorreria no mesmo dia em que um encontro de motos seria realizado em Rio Preto.

A operação foi organizada com a participação de agentes do Tático Ostensivo Rodoviário (Tor), policiais de Rio Preto, com o apoio do helicóptero Águia e do Canil. Após o flagrante, entre os quilômetros 395 e 429, os policiais seguiram para uma chácara de Rio Preto, onde era realizado evento de motociclistas. No local, onde estavam cerca de 100 pessoas, os suspeitos de participarem do racha foram identificados.

Os motociclistas detidos foram encaminhados à Central de Flagrantes, em Rio Preto, onde o delegado Marcelo Goulart da Silva registrou um termo circunstanciado. Após ser ouvidos, eles foram liberados.

De acordo com a polícia, os motociclistas detidos são enquadrados no artigo 308 do Código de Trânsito, respondem a processo administrativo junto ao Detran e podem ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) cassada, perdendo o direito de dirigir. Ainda terão que pagar multa, no valor de R$ 1,9 mil. “Motoristas que praticam manobras arriscadas e nitidamente excessivas ficam sujeitos a processos administrativos e também a crime de racha. Eles respondem em liberdade, mas há lei que prevê punições”, disse o capitão Cláudio.

Participar de corridas clandestinas é crime e o motorista pode pegar de seis meses a três anos de detenção. Se a disputa levar a um acidente com morte, a pena pode chegar a dez anos.
As motos – duas Honda CBR 1000, uma Honda CBR 600, uma BMW S 1000 e uma Ducati 1199 – foram apreendidas e levadas para o pátio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Os motociclistas detidos são moradores de quatro cidades: dois de Birigui , um de Rio Preto, um de Bebedouro e outro de Araraquara. Em depoimento, todos negaram participar do racha e alegaram que estavam apenas no encontro. Procurados pela reportagem, eles não quiseram falar sobre o assunto. Tatiana Pires/Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password