SC: ‘Ele sabia o que estava fazendo’, diz policial que abordou menino dirigindo

O policial rodoviário federal Lairton Bernardi, que flagrou uma criança de 11 anos dirigindo o Fiat Uno da família na manhã de domingo na BR-153, em Irani (SC), afirmou que o menino sabia conduzir o veículo. “O que deu para perceber é que o menino sabia dirigir, sabia o que estava fazendo”, disse. No veículo estavam, além do pai, a mãe e dois irmãos do condutor. O pai alegou que estava com dor na coluna e por isso deixou o filho dirigir.

 

“Provavelmente o menino já dirigia nas estradas de terra do interior. Ele pensou que a polícia não estaria ali, porque o nosso posto fica em Concórdia, ali naquele ponto não há uma fiscalização mais intensa”, disse Bernardi. “Tenho 19 anos de polícia, e é a primera vez que vejo uma coisa dessas”, afirmou o policial.

 

O policial rodoviário conta que estava parado em frente a um posto de combustível quando o veículo passou. “Quando ele passou por mim, eu já suspeitei que era uma criança dirigindo”, disse ele, que afirmou que o menino atendeu ao sinal de parada e estacionou o automóvel no acostamento alguns metros depois.

 

“O pai estava no banco do carona, e a mãe e os irmãos mais novos estavam atrás. Eu perguntei para o pai como que podia aquilo, e ele respondeu que estava com dor nas costas”, relatou. O policial pediu que o homem, um agricultor que reside na área rural de Irani, saísse do veículo para fazer mais perguntas.

 

Segundo Bernardi, o pai afirmou que não viu problemas na ação, pois eles trafegariam um trecho curto na rodovia. “Ele tentou justificar que o espaço que ele ia transitar era pequeno, que estariam indo para a casa de um parente, e que ele só deu a direção para o filho pois estava com muita dor nas costas”, disse.

 

A PRF ainda encontrou outras irregularidades: o veículo estava com licenciamento vencido desde 2009, sem retrovisor esquerdo, sem para-choques, porta traseira amassada, banco quebrado e com dois pneus lisos. O automóvel ainda estava no nome de uma terceira pessoa. “Ele alegou que teria comprado o carro há pouco tempo e estaria ainda pagando e transferindo a documentação”, disse Bernardi, que afirmou ter ficado comovido com a situação. “Estamos com pena das crianças, porque só de multa vai passar de R$ 1 mil”, disse.

 

O policial vai lavrar um Termo Circunstanciado (TC) na delegacia contra o pai do menino. “Por ele ter sido conivente com a situação, porque é diferente de o guri pegar o carro sem o pai ver”, explicou Bernardi.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password