Santa Casa realiza 283 captações de órgãos para transplante

Serviço insere o Hospital no sistema nacional de transplante; Instituição promove simpósio nesta quinta-feira (28/9)

Na dor da perda, ainda existe o amor ao próximo e a generosidade. A assistente de serviços gerais, Eliana Donisete de Souza Danoel, sente a falta do seu filho Roberval de Souza Loncarovici Danoel, de 19 anos. Mas o sofrimento é amenizado com a certeza de que, Roberval, salvou vidas.
O rapaz sofreu acidente de carro em 2013. Ele estava com os amigos, quando o veículo colidiu com o outro. Com o impacto, o automóvel capotou e a ferragem atingiu sua nuca. “Meu filho não teve nenhuma fratura. Mas formou um coágulo muito feio, os primeiros atendimentos foram na Santa Casa de Votuporanga, mas foi encaminhado para São José do Rio Preto”, contou a mãe.
Roberval teve morte cerebral. Diante da triste notícia, a vontade de fazer o filho permanecer vivo, foi maior. “Assim que me informaram da morte encefálica, eu sugeri a doação. Não deixaria meu filho nos aparelhos, aguardando a falência dos órgãos”, disse.
Dona Eliana recordou de um episódio que fez toda a diferença. “Trabalho em uma escola e estava sendo realizada doação de sangue. Toda minha família possui sangue O positivo, considerado universal. Meu filho foi participar e também fez cadastro para medula óssea. Essa vontade dele me fez ter certeza de que a doação de órgãos era o que eu deveria autorizar”, afirmou.
Roberval doou rins, pâncreas, fígado, os pulmões, as córneas, coração e ossos, salvando pessoas. “Tenho certeza que foi feito o melhor”, destacou.
A mãe incentiva a doação de órgãos. “Eu sei que a dor é muito grande, mas precisamos pensar no próximo, a ter uma vida melhor”, complementou.
Histórias como a de Roberval estão cada vez mais comuns na Santa Casa de Votuporanga. A Instituição possui Comissão Intra-Hospitalar de Transplante (CIHT), desde 2012. Desde então, foram realizados mais de 283 procedimentos.
O serviço oferece a chance de doar os órgãos e multiplicar o gesto, colaborando no ato da doação e também insere o Hospital no sistema nacional de transplante. “A família é quem autoriza a captação e esse trabalho de sensibilizar os parentes é fundamental para que mais vidas sejam salvas”, afirmou a coordenadora de enfermagem da CIHT, Kelly Almeida.
O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana, ressaltou a importância da doação. “É um gesto de amor e de solidariedade. Centenas de pessoas aguardam transplantes e cada doador de múltiplos órgãos ajuda até dez pessoas, enquanto um doador de córneas possibilita que duas pessoas voltem a enxergar”, disse.

Simpósio
Para comemorar o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, celebrado no dia 27 deste mês, o Hospital promoverá a terceira edição do Simpósio de Doação e Transplante de órgãos nesta quinta-feira (28/9), no Espaço Unifev/Saúde.
O evento é aberto para toda a comunidade. As inscrições devem ser feitas até terça-feira (26/9) pelo telefone (17) 3405-9133, ramal 285. Na entrada, o participante deve doar cinco quilos de açúcar, que serão encaminhados para o Serviço de Nutrição e Dietética da Instituição.
A abertura será a partir das 19h20, com a presença de diversos profissionais da saúde. Na sequência, Dr. João Fernando Picollo, coordenador da Organização de Procura de Órgãos (OPO) do Hospital de Base de São José do Rio Preto (HB), discutirá sobre a relação do diagnóstico de morte encefálica e o processo de Doação de Órgãos e Tecido.
Após a explanação, alunos do Senac falaram sobre sua visão sobre os procedimentos, seguidos pela enfermeira coordenadora do transplante renal do HB, Ana Carolina Brecher. Ela irá discorrer sobre transplante renal.
Para finalizar a programação, o médico do Hospital do Olho de Rio Preto, Dr. Jorge Dias, falará sobre transplante de córneas.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password