Santa Casa de Votuporanga retoma visitas na UTI Geral

São dois períodos, de 30 minutos cada, todos os dias, de acordo com a numeração dos leitos

Desde o início do ano, o Coronavírus (COVID-19) tem adoecido muitos pacientes. Pelo alto risco de contágio, muitas vezes seu tratamento e recuperação são solitários. A COVID-19 mudou toda a rotina da Santa Casa de Votuporanga, que suspendeu as visitas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) a fim de garantir a segurança e proteção de colaboradores, médicos e todos os assistidos.

Mas, depois de sete meses, o momento é de minimizar a angústia dos familiares e de retomar a presença dos entes queridos na UTI Geral do Hospital. As visitas passam ser permitidas em dois horários a partir desta semana, após uma queda crescente de casos do Coronavírus.

O médico intensivista, Dr. Lucas Amaral, explicou o processo. “Inicialmente, voltamos com um visitante por paciente. São 30 minutos de duração todos os dias. A fim de reduzir a movimentação dentro da Unidade de Terapia Intensiva, separamos em dois horários, de acordo com a numeração dos leitos. De 1 ao 7, das 11h15 às 11h45. Já de 8 ao 14, das 11h45 até 12h15”, contou.
Ele ressaltou a importância do visitante apresentar boa saúde. “É fundamental não estar com sintomas gripais nem febre. Os pacientes da UTI têm saúde debilitada, por isso essa triagem é primordial. O uso de máscara é obrigatório durante toda a permanência na Instituição”, complementou.

Dr. Lucas falou do retorno da visita. “Acreditamos muito nos benefícios  dos familiares no leito, especialmente na UTI. Suspendemos, temporariamente, mas sempre com foco na humanização e qualidade. Neste período de pandemia, implantamos o projeto de visitas onlines, usando a tecnologia a favor para fortalecer laços e reduzir distâncias. Fazemos também ligações diárias para transmitir o estado de saúde”, frisou.

A equipe de Serviço Social está em contato com os parentes para dar mais detalhes do novo fluxo. “Orientamos sobre a responsabilidade de ser o visitante, que irá atualizar as informações para toda a família. É um papel de intermediador, que receberá todo nosso acolhimento”, explicou a assistente social Grazieli dos Santos Paschoalim. Na ausência do visitante, o médico informará os familiares via telefone.

O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana, ressaltou a iniciativa. “A aproximação do familiar auxilia no tratamento, reduzindo até mesmo o tempo de internação. Estamos muito felizes de retomar essas visitas, sempre visando o melhor atendimento para os assistidos”, finalizou.

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password