Rompimento de veia foi a causa da morte de jovem de 25 anos

A médica plantonista da UPA – Unidade de Pronto Atendimento de Santa Fé do Sul, Ana Paula Costa Corgonzinho e a enfermeira responsável técnica da Unidade, Eva Cecílio Samartino deram esclarecimentos sobre a lamentável morte de Jeferson Alves Machado, de 25 anos que faleceu por volta das 6h20m de sábado (22).

Segundo a média, o rapaz deu entrada na emergência as 4h40m com queixas de dores lombares. Após passar pela equipe de triagem, e conferir o quadro clínico do paciente ele foi atendimento e recebeu dosagens de medicamentos para conter a dor.

“Ele estava com todos os sinais vitais estáveis e não apresentava nenhuma alteração no exame físico, pressão arterial, frequência cardíaca e temperatura normais”, disse a doutora Ana Paula.

Em seguida foi ministrado medicamentos anti-inflamatórios, e o paciente passou a ter enjoos, que segundo Jeferson já vinha acontecendo há alguns dias.

A medica relatou ainda que após tomar o medicamento, o jovem desmaiou e teve uma queda, e em seguida foi levado para a sala de emergência já sem os sinais vitais. “Durante uma hora tentamos reanimá-lo realizando os procedimentos padrões de ressuscitação cardiopulmonar, massagem cardíaca, foi entubado, mas não reagiu aos estímulos e veio a óbito as 6h20m”, disse Ana Paula.

A UPA fez um boletim de ocorrência de “morte suspeita”, um procedimento normal quando ocorre uma morte inesperada, e neste de um jovem aparentemente saudável, e o corpo de Jeferson foi levado à São José do Rio Preto, para o Serviço de Verificação de Óbito – SVO que por volta das 17h00, informou a doutora Ana Paula o que provocou a morte do jovem.

“O médico do SVO, informou que Jeferson faleceu em razão da “dissecção de aorta”, que em 98% dos casos o paciente não resiste ao rompimento, ou seja, houve um “rasgo” na artéria de maior calibre do corpo humano”, descreveu a medica plantonista. “Foi inevitável a morte de Jeferson”, disse.

A doutora Ana Paula mais uma vez ressaltou que todos os procedimentos do protocolo de atendimento ao paciente foram realizados, e o paciente em nenhum momento se queixou de problemas cardíacos para que fosse diagnosticado e realizando o atendimento, e que os exames realizados também não acusaram problemas durante a passagem do mesmo na UPA. Jeferson ainda dissera a medica que a dor poderia ser em decorrência de um treinamento físico realizado na tarde de sexta feira (21), pois ele tinha o hábito frequente de realizar tal atividade de academia. Familiares disseram ainda que ele não fazia uso de anabolizante, segundo informou a doutora Ana Paula.

A Enfermeira Responsável pela UPA, lamentou as críticas endereçadas a Unidade. “Lamentamos que esse tipo de ocorrência ganha proporções maiores, trabalhamos para salvar vidas, somos seres humanos cuidando de seres humanos, e quando uma morte acontece, todos os funcionários também se entristecem, fizemos o possível para impedir a morte de Jeferson”, disse Eva Cecílio Samartino.

“No nosso dia-a-dia também conseguimos salvar muitas vidas, mas infelizmente isso não é divulgado, como recentemente salvamos uma mãe e um bebe de sete meses, durante um parto dentro da Unidade”, comentou a enfermeira.

Eva salientou que a UPA atende em média cinco mil pacientes por mês está preparada com equipamentos, medicamentos, e principalmente médicos, enfermeiros e demais funcionários para atender a população que pode se dirigir até a Unidade para quaisquer esclarecimentos. “Não escondemos nada, somos transparentes e estamos sempre de portas abertas para toda a população”, reiterou Eva Samartino.

O corpo de Jeferson de 25 anos foi sepultado neste domingo na cidade de Santa Fé do Sul. InformaMais

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password