Rio Preto ganha nova Base de Radiopatrulha Aérea da PM

A região de São José do Rio Preto (distante 454 km da Capital) ganhou uma nova sede para sua Base de Radiopatrulha Aérea (BRPAe). A unidade foi inaugurada pelo governador Geraldo Alckmin, às 9 horas deste sábado (27), junto ao Aeroporto Professor Eribelto Manoel Reino, na Avenida Clóvis Oger.

O Governo do Estado investiu R$ 3,5 milhões na construção da nova sede, as obras terminaram no mês passado. Até então, a Base funcionava nas instalações do Posto de Bombeiros local.

A Base beneficiará os cerca de 1,5 milhão de habitantes da região de São José do Rio Preto, que estão distribuídos por 96 municípios.

A equipe conta com policiais militares treinados e especializados para o atendimento de variados tipos de ocorrência. Os equipamentos da unidade são eficientes para rápidos salvamentos em catástrofes, como enchentes, incêndios e outras situações em locais altos e de difícil acesso.

Comandada pelo capitão Carlos Donizetti Sousa de Siqueira, a Base conta com oito ambientes, entre eles sala de instrução, de resgate aeromédico, de operações e hangar para aeronaves.

Além da nova sede de São José do Rio Preto, o Grupamento de Radiopatrulha Aérea da Polícia Militar (GRPAe) conta com outras 10 Bases espalhadas pelo Estado, uma na Capital e outras nove nas diferentes regiões do interior. Juntas, as unidades apoiam o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar Rodoviária.

São quase 30 aeronaves no Grupamento, de modelos variados, utilizadas para o atendimento de ocorrências de urgência e em locais de difícil acesso – seja em pistas curtas, grama, terra ou asfalto –, missões de resgate, remoção aeromédica, transporte de órgãos para transplante, etc.

Combate à criminalidade e salvamentos

Desde a criação da Base, em 12 de agosto de 2010, os policiais da unidade “voaram” mais de 703 horas. Durante as ocorrências, detiveram 238 pessoas, salvaram vidas, apreenderam 29 armas, localizaram 65 veículos e combateram 31 incêndios.

O Grupamento de Radiopatrulha Aérea da PM

O Grupamento começou suas atividades em 15 de agosto de 1984, na sede do 2º Batalhão de Policiamento de Choque, no centro da Capital. Em 1986, foi transferido para o Aeroporto Campo de Marte, onde permanece até hoje.

A unidade conta com uma Escola de Aviação (ESAV), homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), por meio da qual a corporação forma pilotos e tripulantes. A Escola funciona desde maio de 1996.

Para ingressar no curso, o policial militar precisa ser oficial e ter no mínimo dois anos de atuação operacional, ou seja, prestação de serviços nas diversas modalidades de policiamento ou no Corpo de Bombeiros.

O aluno começa recebendo instruções no helicóptero HU-30, ganha a carteira de Piloto Privado de Helicóptero e voa por pelo menos 500 horas como copiloto para passar para a próxima etapa do curso.

Depois, segue para o estágio de voo avançado, onde é submetido a um Conselho de Voo, que conforme o desempenho decidirá se o piloto está ou não em condições de assumir a responsabilidade de comandante de aeronave policial.

A formação completa do piloto do Águia pode levar de três a quatro anos.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password