Rio Preto ganha mais 11 radares para ‘vigiar’ motoristas

Cidade chega a 37 equipamentos de fiscalização

A partir de segunda-feira, 20, a Prefeitura de Rio Preto volta com tudo na fiscalização de excesso de velocidade nas ruas e avenidas. Além de retomar o uso dos dois radares estáticos (móveis), que estavam parados desde março do ano passado, a Secretaria de Trânsito vai colocar em funcionamento mais um radar fixo e oito novas lombadas eletrônicas para multar quem desrespeita a velocidade máxima permitida. Somados aos radares fixos existentes e em uso atualmente, passa de 26 para 37 a quantidade de aparelhos para flagrar os “apressados”.

Desde o início da pandemia, os radares estáticos estavam encostados para evitar o risco de contaminação dos funcionários responsáveis em operar os aparelhos. Além disso, também foram evitadas as blitze de trânsito, feitas pela Guarda Civil Municipal (GCM). Como resultado, 2020 registrou uma queda de punições dos condutores de veículos por excesso de velocidade em relação a 2019 – foram 83.554 no ano passado contra 101.778 em 2019. Neste ano, de janeiro a agosto, 49.459 motoristas foram flagrados acima da velocidade.

Com a redução gradual dos casos de Covid e a retomada das atividades econômicas, o secretário de Trânsito, Amaury Hernandes, resolveu retomar a fiscalização. A reportagem não conseguiu contato com o secretário nesta quarta. Na terça, ele disse ao Diário que seriam colocados equipamentos nos locais com mais acidentes. “A vida voltando ao normal e os condutores abusando da velocidade,” disse.

São 27 radares fixos, sendo que dez deles também fiscalizam quem “fura” o semáforo, e oito lombadas eletrônicas. Estes últimos têm um painel para mostrar a velocidade que o veículo passou pelo equipamento. Em todos os pontos em que eles estão a velocidade máxima é de 40 km/h. Os dois radares estáticos não têm ponto fixo e a pasta informa a localização deles com ao menos um dia de antecedência – são 109 locais cadastrados que podem receber um dos equipamentos.

O diretor da Guarda Municipal, Vitor Cornachioni, diz que a corporação tem colocado viaturas nas avenidas e ruas mais movimentadas para inibir o excesso de velocidade. “A gente faz isso principalmente nos horários de pico. Os motoristas enxergam as viaturas da GCM posicionadas naquele trecho e já reduzem a velocidade e agem com mais cuidado. Essa é a nossa intenção, dar mais segurança a todos.”

Motoristas

O aumento da fiscalização eletrônica nas ruas divide opiniões dos motoristas. Há condutores de veículos, como o aposentado Antonio Nascimento, 68 anos, que aprovam. “Acho importante colocar mais radares, porque, para mim, parece que só na base da multa, punindo no bolso, os motoristas de Rio Preto tiram o pé do acelerador. Todo ano tem campanha de conscientização no trânsito, mas o povo não aprende”, comenta o aposentado.

Quem pensa diferente é o representante comercial José Leandro de Seixas, 41 anos. Ele acha que o aumento de radares não vai reduzir a quantidade de acidentes, e só vai servir para elevar a arrecadação da Prefeitura. “Não adianta colocar mais radares, fixos ou móveis. Os motoristas já manjaram onde estão instalados. Eles reduzem a velocidade só na frente do aparelho. Passa uns metros, já acelera novamente. Só ficar sentado ao lado de um radar para ver”, diz.

Mais duas lombadas

A Secretaria de Trânsito vai instalar mais duas lombadas eletrônicas nas próximas semanas para reduzir o risco de acidente em trecho da avenida Ernani Pires Domingues com desnível no asfalto, no São Jorge. No local, condutores de carros e motos perdem o controle dos veículos após passar pela depressão no pavimento. Cenas dos acidentes foram registradas por câmeras de monitoramento de empresa próximo ao local. A Prefeitura já tinha colocado placas e sinalização para reduzir a velocidade no trecho de 60 km/h pra 40 km/h.

A redução de velocidade tem sido uma opção da Secretaria de Trânsito, por meio de instalação de placas de sinalização e colocação de lombadas simples. Com a entrada em vigor do convênio atividade delegada, assinado com o governo do Estado, a Prefeitura espera usar os polícias militares para colocar em prática a estratégia de realizar blitze contra abusos no trânsito. (MAS)

Fiscalização

37 é o número de equipamentos de fiscalização de velocidade em Rio Preto

27 radares fixos de velocidade em Rio Preto – dez deles fiscalizam também quem “fura” sinal vermelho

8 lombadas eletrônicas – que entram em funcionamento na segunda-feira, 20

2 radares estáticos (tripé) – que voltam a funcionar na segunda-feira, 20, e são colocados em pontos diferentes (ao todo, são 109 endereços que podem receber esses radares. A partir de domingo, 19, o Diário volta a publicar a relação de locais em que eles estarão)

 Locais com radares fixos de velocidade em Rio Preto

1 Av. Sebastião G. de Souza, 351 – B/C

2 Av. Ernani Pires Domingues, 850 – B/C

3 Av. Juscelino K. de Oliveira, 3600 – C/B

4 Av. Ernani Pires Domingues, 1100 – C/B

5 Av. de Maio, 2749 – B/C

6 Av. Bady Bassitt, 4870 – C/B*

7 Av. Juscelino K de Oliveira, 2015 – B/C

8 Av. Sebastião T. da Silva, 1.111 – C/B

9 Av. Sebastião T. da Silva, 1.133 – B/C

10 Av. Dos Estudantes, 2023 – B/C*

11 Av. Antônio M. de Oliveira, 3561 – B/C

12 Rua Marechal Deodoro, 2180 – B/C*

13 Av. Ernani Pires Domingues, 7800

14 Elevado João XXIII (Viaduto Jordão Reis), C/B

15 Viaduto Antenore Caffagni, sentido

16 Av. José Munia, 4.501 – B/C*

17 Av. Domingos Falavina, 1.610 – C/B*

18 Av. Lino José de Seixas, 861 – C/B*

19 Av. Brigadeiro Faria Lima, 5.416 – C/B*

20 Av. Brigadeiro Faria Lima, 5.544 -B/C*

21 Av. Alfredo Teodoro de Oliveira, 1.935 – B/C*

22 Av. Alfredo Teodoro de Oliveira, 2.910 – B/C

23 Viaduto Luiz Carlos de Abreu Sodré, sentido Av. Philadelpho

24 Av. da Saudade, 3730 – C/B

25 Av Nadima Damha, 2000 – B/C

26 Av. Miguel Damha, 1.440

27 Av João Bernardino de Seixas Ribeiro com a rua Pedro Goes – C/B

Locais com lombadas eletrônicas

28 Av Juscelino K Oliveira, 1080 – C/B

29 Av. Francisco Chagas, 1.333

30 Av. Mirassolândia, 1735-B/C

31 Av. dos Estudantes, 3.505 – B/C

32 Rua Saldanha Marinho, 2449 – C/B

33 Av. Danilo Galeazzi, 1658, B/C

34 Av. Benedito Sufredini, 520

35 Av. José Silva Sé, 205

Multas por excesso de velocidade em Rio Preto

2019

Exceder a velocidade em até 20%: 91.522

Exceder a velocidade de 20% a 50%: 9.756

Exceder a velocidade em mais de 50%: 500

Total: 101.778

2020

Exceder a velocidade em até 20%: 74.726

Exceder a velocidade de 20% a 50%: 8.348

Exceder a velocidade em mais de 50%: 480

Total: 83.554

2021 (até agosto)

Exceder a velocidade em até 20%: 44.349

Exceder a velocidade de 20% a 50%: 4.819

Exceder a velocidade em mais de 50%: 291

Total: 49.459

Fonte: Secretaria de Trânsito

É preciso ter estudo para embasamento

Os países de primeiro mundo só conseguiram reduzir os índices de acidente após aumentar a fiscalização eletrônica nas ruas. A afirmação é do professor de engenharia de trânsito, Antonio Clovis Pinto Ferraz (Coca Ferraz), da USP de São Carlos.

Para o acadêmico, é correta a opção de instalar mais radares fixos e lombadas eletrônicas para punir os motoristas que dirigem em alta velocidade em perímetro urbano. Mas ele pondera que a localização deve ser baseada em estudos.

“Se os equipamentos foram instalados após um estudo da quantidade de acidentes e medição da velocidade média dos veículos no trecho, a colocação do aparelho é correta. Porque se sustenta em dados técnicos, que podem ser mostrados para quem questiona o porquê de uma lombada e um radar naquele ponto”, argumenta o professor.

Coca Ferraz também defende que seja cumprida à risca a lei de que cada equipamento de fiscalização seja precedido de farta sinalização de trânsito para evitar que os condutores aleguem ter sido flagrados por radares ocultos, o que é proibido pela legislação.

O acadêmico defende que a longo prazo sejam feitos mais investimento públicos em formas variadas de incentivar a educação no trânsito, como campanhas em grandes meios de comunicação, mídias sociais e até blitze educativas do trânsito.

“A única solução definitiva pra mudar o comportamento dos motoristas é a educação. Desde criança, no ensino fundamental, que pode ter aulas sobre legislação de trânsito, até nos centros de formação de condutores, durante as aulas teóricas para ter direito a CNH. Comportamento só se muda a longo prazo”, diz o professor. (MAS)

Marco Antonio dos Santos – diarioweb.com.br

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password