REVIEW NOKIA LUMIA 930

O Lumia 930 é um dos últimos tops de linha com a marca Nokia. O aparelho é uma pequena obra-prima: bem construído, bonito e com uma câmera de tirar o fôlego. Apesar disso, ele escorrega em alguns quesitos, a começar pela indiferença dos desenvolvedores terceiros em relação ao Windows Phone.

Design

Testamos a versão preta do Lumia 930. Na verdade, a variedade de cores do Lumia se restringe à traseira de policarbonato, que pode também ser branca, laranja ou verde. Bem, o aparelho fica especialmente bonito em preto: a traseira se confunde um pouco com a lateral metálica e fica ainda em consonância com o preto da parte frontal. Parece um celularzão feito de uma peça única, esculpido a parte de um pedregulho preto. Isso tudo para dizer que, sim, o Lumia 930 é muito bonito.

É… mas beleza não é tudo. O Lumia 930 é um aparelho grande e pesado. Ser grande, em si, não é nem um grande problema, tendo em vista a tendência dos smartphones atuais a terem telas cada vez maiores. A questão aqui é a “pegada”: como ele é um aparelho retangular com uma traseira praticamente plana, não encaixa bem nas mãos. O fato de ele não ser o mais fino do aparelhos, com seus quase 10 mm de espessura, potencializa isso.

Lumia 930 ainda tem o contra do peso. Com 167 g, ele é consideravelmente mais pesado do que seus concorrentes Galaxy S5, Moto X 2014, LG G3 e iPhone 6. No resumo, não dá pra negar que a Nokia usou o que tinha de melhor para construir a carcaça do Lumia, mas isso não gerou uma experiência de uso impecável. Na balança dos prós e contras, no entanto, a empresa ainda continua com um saldo positivo.

O botões físicos ficam todos na lateral direita. Há o botão de desbloqueio de tela, que também funciona como liga/desliga, o de controle de volume e dedicado para disparo de câmera, que fica um pouco mais abaixo. O smartphone usa ainda o esquema de botões capacitivos, sensíveis ao toque, na parte inferior. Fecham os detalhes do design a entrada de fones de ouvido, a entrada microUSB e a bandeja de chip nanoSIM (o mesmo dos iPhones 5, 5S e 6 e do Moto X, por exemplo), todos recortados na faixa lateral de metal.

Desempenho

A versão 8.1 do Windows Phone representou um salto e tanto para os dispositivos móveis da Microsoft. E o Lumia 930 foi o primeiro top da companhia a vir já equipado com ele, o que é uma excelente notícia. Entre as novidades, estavam a tão esperada barra de notificações e mais opções de personalização.

O sistema, em si, está ótimo: roda bem, raramente engasga e tá super amarradinho. O problema do WP, no geral, é antigo: os apps terceiros. As coisas melhoraram, claro, mas é cotidiano ver apps incríveis sendo lançados para iOS e Android… e só para eles. Os desenvolvedores ainda têm esses sistemas como favoritos, e geralmente é lá que eles lançam seus produtos primeiro.

Por outro lado, a loja do Windows Phone cresceu e a maior parte dos principais apps do mercado já está disponível. Temos o Instagram, o Twitter, o WhatsApp, o Facebook, e por aí vai. É verdade que os aplicativos não são tão polidos como suas versões para os outros sistemas, mas já é um adianto. E, como sempre dá pra conseguir um “jeitinho”, alguns apps ausentes importantes ganharam versões B, a exemplo do Tinder, que virou 6tin, e o CloudSix, que é um excelente cliente para Dropbox.

Há, no entanto, um punhado de aplicativos exclusivos que fazem toda a diferença. O Lumia Camera, por exemplo, é um dos melhore programas de câmera do mercado; o mesmo acontece com os Lumia Cinemagraphy, Lumia Panorama e com o Creative Studio.

O bom desempenho do sistema se dá graças ao bom conjunto de hardware. Ele conta com um processador Qualcomm Snapdragon quad-core de 2,2 GHz, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento interno. Faz falta no time a presença de slot para cartão microSD, que permitiria aumenta o espaço para salvar arquivos, apps e fotos, mas 32 GB já é um número generoso.

Em relação à bateria, ficamos um pouco decepcionados com a performance do 930. Com uso moderado, ela aguentou um dia inteiro com uma única carga. Quando testamos o aparelho para assistir a vídeos e para jogar, no entanto, o consumo de bateria foi muito acima da expectativa. Por duas vezes, o smartphone esquentou de forma considerável durante a execução de um jogo, e em menos de uma hora a bateria tinha sido cortada pela metade. Esse “ponto fraco” é particularmente curioso, já que os “números” da bateria são bem respeitáveis: 2.420 mAh.

Tela

Full HD. Essas são as palavras muito bem-vindas nessa análise do Lumia 930. A Nokia (codinome Microsoft) demorou um pouco para lançar seus primeiros smartphones com tela Full HD, mas parece que a espera valeu a pena. O 930 tem uma tela impecável, com agora, uma resolução para ninguém botar defeito. O resultado ficou bacana e é praticamente impossível enxergar os pixels que compõem a imagem a olho nu.

A tela é Amoled, a mesma tecnologia vista nos smartphones Samsung Galaxy tops de linha. Por vezes, o brilho e as cores do display são exageradamente intensos, como se saltassem para fora da tela. Fica bonito, embora incomode os olhos após um tempo prolongado de uso. Além disso, ela conta com uma tecnologia chamada ClearBlack que, basicamente, promete fazer o preto mais preto. Para quem usa o Windows Phone com o tema “escuro”, o efeito é interessante, já que às vezes dá a sensação de que os cantos do display se misturam com o preto da parte frontal do dispositivo.

Claro que não poderíamos deixar de falar em tamanho. A tela tem 5 polegadas, o que gera uma densidade de pixel por polegada de cerca de 440. O tamanho é mais ou menos o que vemos por aí nos tops de linha atuais, com uma margem de erro para mais ou para menos. O Moto X tem 5,2 polegadas, o Galaxy S5 tem 5,1 polegadas… E por aí vai. Ah, em tempo: o vidro é um Gorilla Glass 3, que não é inquebrável, mas bem que resiste a alguns arranhões.

Câmera

O Lumia 930 faz questão de lembrar o quanto a Nokia sempre foi a rainha das câmeras. Foco, cores, nitidez… não há nada que o smartphone não execute bem sob luz natural. As fotos saem bem surpreendentes, a ponto de ser possível aproveitar área da imagem com zoom e manter uma qualidade satisfatória.

Mesmo em ambientes com pouca iluminação, a câmera não faz feio. Aliás, ela faz muito melhor do que a média do mercado, o que já é um feito impressionante. As fotos tiradas “no escuro” não tem qualidade profissional, mas podem ser usadas com tranquilidade para compartilhar momentos legais com seus amigos no Instagram, por exemplo.

Trata-se de uma câmera com sensor de 1/2,5″ e 20 megapixels de resolução. As lentes, da marca Carl Zeiss, ainda são acompanhadas de um sistema eficiente de estabilização óptica, que funciona bem para filmagens. Falando em vídeos, o Lumia 930 filma em qualidade Full HD (1080p). Para completar o pacote, há um flash dual-LED. Já a câmera frontal tem sensor de 1,2 megapixel e filma em 720p.

Custo-benefício

Atualmente, o Lumia 930 custa em média R$ 1,5 mil nas lojas do varejo. Em promoção, é possível encontrá-lo até por R$ 1 mil, o que faz dele um top de linha com preço superatraente. Comprado por preços baixos, o custo-benefício do celular é positivo.

Como contras, pesam o “design desconfortável”, os problemas que ainda persistem do Windows Phone e a bateria mediana. Como prós, a câmera e a tela de qualidade ímpar. No fim das contas, a R$ 1,5 mil, ele vale a compra para quem faz questão de um Windows Phone.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password