Região tem seis trechos de prostituição infantil na BR-153

Mapeamento nacional da Polícia Rodoviária Federal divulgado esta semana identificou seis pontos de prostituição de crianças e adolescentes no trecho da rodovia Transbrasiliana (BR-153) que passa pela região de Rio Preto, nos municípios de José Bonifácio, Jaci, Icém e Fronteira (MG). O levantamento faz parte da sexta edição do “Mapeamento dos Pontos Vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Federais Brasileiras”.

Foram considerados pela polícia apenas os pontos que ficam às margens das rodovias federais. Só em José Bonifácio existem três pontos ao lado BR-153. Os locais são considerados de médio e baixo risco em uma escala que tem classificações definidas como baixo risco, médio risco, alto risco e crítico. Os caso mais graves são os de Icém e Fronteira, classificado como crítico. De acordo com o Conselho Tutelar de Icém, o sistema de prostituição de menores acontecia no restaurante Peixe Vivo, um dos mais tradicionais da região, e que foi fechado no início do mês. Os proprietários são acusados de conivência com a prostituição de adolescente em festa regadas a álcool e drogas.

“Esses pontos apontados como críticos são os mais suscetíveis à prostituição. Eles locais são também os nossos principais alvos. Para fazer essa classificação levamos em conta a presença de prostituição de adultos no local, presença de crianças e adolescentes, consumo de álcool e outras drogas, presença constante e aglomeração de veículos, falta de vigilância privada e iluminação”, explica a inspetora da Polícia Rodoviária Federal Márcia Vieira, presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos. O mapeamento identificou um número recorde de pontos propícios à exploração sexual de menores no Brasil. Um total de 1.969 locais mapeados entre 2012 e 2013, aumento de 9% em relação ao estudo apresentado no ano passado, quando foram identificados 1.776 pontos.

Ilhas de exploração

Icém e Fronteira fazem parte de uma ilha de prostituição infantil. No município mineiro, festas e forrós, realizados principalmente aos finais de semana, estão recheados de prostitutas, entre elas menores de 12 a 17 anos. A informação é do próprio Conselho Tutelar da cidade, que conhece a informação, mas pouco tem a fazer porque a maioria dos casos não são denunciados. “Fica difícil flagramos porque muita gente não denuncia. Os próprios pais não coniventes em muitos casos e levam as filhas para se prostituírem em bares, restaurantes e festas. O problema é grave e difícil de ser combatido. Quando chegamos no local, o pessoal diz que não sabe de nada”, afirmou a conselheira Luani de Oliveira, de Fronteira.

Eram de Fronteira as adolescentes flagradas se prostituindo no restaurante Peixe Vivo. “Ali era um ponto forte. Agora que fecharam não sabemos ainda para onde foram esses jovens. Dentro da cidade mesmo não temos casos”, disse a conselheira Joseane Soares, de Icém. O Conselho Tutelar de Jaci afirmou desconhecer casos de prostituição infantil no município. “Não recebemos denúncia”, diz a conselheira Vera Cunha. No Conselho Tutelar de José Bonifácio ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto.

Na BR-153 foram encontrados nove pontos de prostituição infantil na região Sudeste, cinco deles no estado de São Paulo, todos os cinco na região de Rio Preto. Mesmo assim a inspetora Márcia Vieira afirma que houve uma melhora significativa nos números. “A maioria desses pontos é de baixo ou médio risco, ou seja, pontos que já tiveram prostituição, mas que foi contida e agora estamos apenas monitorando. Mesmo assim são locais que ainda oferecem riscos”, disse.

Elton Rodrigues/ Via: Diário da Região de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password