Região ganha hospital infantil de R$ 70 milhões, em São José do Rio Preto

“Pode haver hospital igual, mas melhor do que Hospital da Criança e Maternidade não existe no Brasil”, afirmou o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, ao inaugurar o HCM na manhã do dia 11 de outubro.

“O Hospital da Criança e Maternidade integra um complexo hospitalar que é um orgulho, não só para Rio Preto e para o Estado de São Paulo, mas para o Brasil. É dinheiro público muito bem investido numa instituição com excelentes profissionais, saúde de qualidade e com custo não muito alto”, completou o governador.

Alckmin e o Secretário de Saúde do Estado de São Paulo, David Uip, inauguraram o HCM numa cerimônia que contou com a apresentação lúdica de clowns e a presença de parlamentares, de prefeitos, de lideranças de instituições da saúde, alunos, funcionários, professores e comunidade.

Em discurso, Dr. Horácio Ramalho, Diretor Executivo da Funfarme, salientou que o hospital representa um novo paradigma de atendimento à criança e à mãe. “Pensando neles, queremos fazer uma gestão compartilhada entre o Hospital de Base e o HCM para diminuir custos, aumentando a eficiência e agilidade”, frisou.

Além de oferecer atendimento humanizado e a mais moderna tecnologia aos pacientes, o HCM é um importante centro formador de profissionais altamente capacitados e produtor acadêmico-científico, em estreita parceria com a Faculdade de Medicina e Enfermagem (Famerp). “Essa troca de experiências e de aprendizagem, que já acontece no HB, será ampliada, beneficiando os pacientes, alunos, professores e comunidade”, ressalta Dr. Dulcimar Donizeti de Souza, Diretor Geral da Famerp.

O novo hospital inicia suas atividades já na condição de um dos mais modernos e bem estruturados hospitais do Brasil, com a capacidade de realizar 4000 atendimentos/mês, em média. É referência em diversas especialidades pediátricas e em obstetrícia, tendo foco no atendimento de complexidade, entre os quais, gestação de alto risco e nas áreas de neonatologia, ortopedia, cardiologia, cirurgia cardíaca pediátrica e neurologia.

 

Hospital terá 205 leitos voltados para pediatria e obstetrícia

 

Nesta primeira fase, após a inauguração, seis das oito unidades do hospital iniciam as atividades, ocupando 155 dos 205 leitos. A Diretoria da Funfarme pretende que, até o final de outubro, todas as alas de pediatria e neonatal do HB estejam transferidas para o novo hospital e, até dezembro, comecem a funcionar, no 8º andar, o Instituto de Reabilitação Lucy Montoro e, no 4º andar, o setor de oncologia. Assim, o HCM estará plenamente em atividade.

O hospital terá 171 médicos e residentes, além de mais de 500 funcionários de outras especialidades da Saúde (enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais, biomédicos e farmacêuticos) e profissionais de áreas de apoio. Destes 500 profissionais, 208 estão sendo contratados em processo iniciado este mês.

 

HCM: referência em assistência, ensino e pesquisa

 

Assim como o Hospital de Base de Rio Preto, a Diretoria da Funfarme está convicta de que o Hospital da Criança e Maternidade será referência no Brasil em assistência, ensino e pesquisa. Além de oferecer atendimento humanizado e a mais moderna tecnologia aos pacientes, o HCM será importante centro formador de profissionais altamente capacitados e produtor acadêmico-científico, em estreita parceria com a Faculdade de Medicina e Enfermagem (Famerp).

Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson, chefe da pediatria e cirurgia pediátrica do Hospital de Base lembra que o HB já é referência em cardiologia e oncologia pediátricas e em neonatologia, condição que irá se fortalecer ainda mais no HCM. “O novo hospital certamente terá, em breve, o mesmo prestígio nas áreas de neurologia, neurocirurgia e ortopedia”, afirma o chefe da pediatria e cirurgia pediátrica.

Para Dra. Eloísa Galão, responsável pelo Serviço de Obstetrícia do Hospital de Base e professora da Famerp, o Hospital da Criança e Maternidade representa o ideal de serviço público de saúde que deve ser oferecido à população. “As mães terão seus filhos num hospital à altura da importância deste momento único em suas vidas. O HCM oferece conforto, infra-estrutura, enfim, plenas condições para nós, profissionais, oferecermos, com dignidade, o melhor de nós a nossos pacientes. Sinto orgulho imenso de integrar a equipe deste hospital”, afirma Dra. Eloísa, finalizando: “Este hospital público equipara-se às melhores instituições particulares do Brasil.”

Dr. Horácio Ramalho assegura: “Toda a comunidade da fundação tem certeza de que o HCM será um divisor de águas no atendimento materno-infantil no Estado de São Paulo. Vamos crescer, mudar o paradigma de atendimento que se tem hoje.”

 

HCM: sustentabilidade e tecnologia

 

O Hospital da Criança e Maternidade conta com aquecimento solar, fornecido por 120 placas instaladas na cobertura do prédio. Em prédio anexo, cinco geradores garantem a geração de energia, caso haja interrupção da rede externa.

Possui também um sistema centralizado de “nobreak” para evitar oscilações da energia elétrica em áreas críticas como UTIs e centro cirúrgico.

O sistema de ar condicionado é totalmente automatizado, o que possibilita significativa economia de energia elétrica. Além disso, o sistema de filtragem de ar das salas de cirurgia e das UTIs é de alta eficiência, o que maximiza o controle da qualidade do ar circulante.

 

Serviços atendem e integram HCM e HB

 

Uma série de serviços, que até agora atendiam o Hospital de Base e o Instituto de Reabilitação Lucy Montoro, ganharam novos prédios e infra-estrutura moderna, proporcionando agilidade no suporte e atendimento às três instituições. “É um modelo compartilhado moderno que irá colaborar para termos ainda mais eficiência e qualidade dos serviços oferecidos pelos dois hospitais e o instituto”, salienta Dr. Horácio Ramalho.

Uma área de 900 metros quadrados foi adequada para abrigar a Central de Materiais e Esterilização, totalmente automatizada, lavandeira, cozinha e refeitório. O funcionamento da lavanderia pauta-se pela sustentabilidade, pois seus modernos equipamentos e o processo de lavagem resultam na reutilização da água. Sua capacidade foi ampliada de 4,5 para 7 toneladas a quantidade de roupas lavadas.

A Funfarme também investiu no parque de resíduos, que passará de uma para duas toneladas/dia a capacidade de processamento.

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password