Rapaz que matou companheira ateando fogo em seu corpo é recolhido na Cadeia Pública de Votuporanga

Está recolhido na Cadeia Pública de Votuporanga o garçom Cléber Santos Bordi, 20 anos, acusado de ter ateado fogo no corpo da própria companheira.

O crime aconteceu na manhã de um domingo, na residência do casal, na rua Maranhão, próximo a praça do Jardim Umuarama.

A mulher teve cerca de 40% do corpo queimado e morreu dias depois no Hospital de Queimados de Bauru.

Segundo informações colhidas pela reportagem, a mulher dormia no sofá quando o acusado jogou álcool em seu corpo e acendeu um fósforo. Rapidamente as chamas se propagaram pelo corpo, atingindo principalmente o couro cabeludo, tronco e braços. Houve explosão na sala e o fogo atingiu também as mãos do acusado que também precisou ser atendido por equipes de resgate.

A USA (Unidade de Suporte Avançado) do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros estiveram no local para socorrer os feridos.

A mulher foi imediatamente socorrida ao pronto socorro da Santa Casa, onde permaneceu em estado gravíssimo, até ser transferida para Bauru. Já o agressor também ficou sob escolta policial. Ficou algemado pelos pés em razão dos ferimentos nas mãos e braços, sendo transferido para  o Hospital Padre Albino, de Catanduva. Foi recolhido na Cadeia Pública de Votuporanga na última sexta-feira.

O caso

A cuidadora de idosos Ivonete Cândida Freitas Silva, 37 anos, que teve o corpo queimado pelo esposo na madrugada do dia 23, não resistiu aos ferimentos e faleceu na tarde do último domingo.

Ela teve 40% do corpo queimado pelo companheiro, o entregador Cléber Santos Bordi, 20. Segundo a denúncia, ele teria aproveitado que Ivonete estava dormindo no sofá de casa, jogou álcool e em seguida ateou fogo no corpo dela. Ivonete estava internada em estado grave na ala de queimados da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital Estadual de Bauru.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na ocasião, Cléber ateou fogo em Ivonete por volta das 6h30, na casa deles, localizada na rua Maranhão, bairro Vila Nova. O irmão dela disse aos policiais que acordou com os gritos de dor da irmã. Segundo ele, Ivonete estava com a parte superior do corpo pegando fogo.

O irmão da vítima então pegou água e conseguiu apagar as chamas, levando-a em seguida em seu próprio carro para o Pronto Socorro da Santa Casa. Mostrando preocupação com os móveis, Cléber retirou o sofá de dentro da casa, momento em que queimou as mãos e os braços.

O agressor se encontrava internado na Unidade de Terapia de Queimados, do Hospital Padre Albino, em Catanduva.

O casal já tinha histórico de brigas, tendo um boletim de ocorrência sido registrado em abril por agressão. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher, chefiada pela delegada Edna Rita de Oliveira Freitas. Com a morte de Ivonete, Cléber deverá responder pelo crime de homicídio qualificado por meio cruel.

votunews

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password