Psicóloga dá dicas para manter sua saúde mental

Lucilene Andrade orienta como preservar o bem-estar durante isolamento social.

As epidemias costumam provocar um pânico generalizado na população, principalmente quando não se tem total conhecimento sobre a doença — é o caso da infecção pelo novo Coronavírus (chamado de COVID-19). Esse tipo de situação pode abalar a saúde mental, causando estresse e ansiedade.

A psicóloga da Santa Casa de Votuporanga, Lucilene Andrade, concedeu dicas valiosas para quem está em isolamento social, para que possa usufruir com qualidade e união entre os familiares que moram na mesma casa.

Alternativas

Existem algumas alternativas que podem nos ajudar a ter um isolamento com mais qualidade. Por exemplo, desenvolver rotina dentro de casa; como os afazeres domésticos, leitura, filmes, fazer vídeos chamadas com amigos e familiares, realizar alguns exercícios físicos, cuidar da alimentação e se hidratar muito.

Nos casos em que as pessoas da residência não estão infectadas, elas podem se reunir para conversas sobre momentos bons que passaram juntas, fazer dinâmicas e jogos para os integrantes, ressaltando que isso só poderá ocorrer nas famílias que já moram juntas e que não têm nenhum caso confirmado ou suspeito. Para os que podem, é importante trabalhar de forma online ou home office.

Oriente as crianças

Os pequenos precisam ficar cientes do que está acontecendo, especialmente se há alguém infectado em casa. Ao perceber que os pais estão estressados e ansiosos, eles reproduzem esse comportamento e acabam buscando mais apego ou sendo mais exigentes com os adultos.

Dê uma explicação condizente com a faixa etária deles e mantenha a rotina o mais normal possível. Se seus filhos demonstrarem preocupação, ajude-os a gerenciar suas emoções e a aliviar a ansiedade.

Tenha paciência com os idosos

Essa é uma dica crucial, visto que os mais velhos são a principal população de risco para sofrer complicações do Covid-19. Ofereça recomendações claras sobre a prevenção da enfermidade e as repita quantas vezes for necessário, sempre de forma calma e respeitosa.

Estabeleça uma rotina

Se você já está trabalhando em casa, mas tem dúvidas sobre como criar uma rotina, siga algumas dicas simples.

Primeiro, estabeleça um horário para acordar (se lembre de que você não perderá mais tempo com deslocamento até o trabalho, portanto, pode até dormir um pouquinho a mais).

O ideal é começar a sua rotina com um bom café da manhã e não se esquecer de que ficar na cama trabalhando de pijama pode ser uma medida pouco produtiva. Procure se vestir com roupas confortáveis e criar um ambiente agradável para realizar as suas atividades.

Procure se alimentar bem e se hidratar ao longo do dia e não faça do home office uma desculpa para trabalhar mais horas do que o devido. É preciso aprender a encontrar um equilíbrio entre a vida profissional e pessoal nessas horas, caso contrário, você estará descuidando da saúde mental.

Evite o bombardeio de informações

A todo momento surge um dado novo sobre casos confirmados do Coronavírus, o que leva os noticiários a lotarem sua programação de reportagens. Apesar de ser importante procurar conhecimento, o fluxo constante de notícias gera preocupação, ansiedade e estresse.

Sentiu que os sites e jornais estão te deixando ansioso e/ou estressado? Tente se informar em momentos específicos, de uma a duas vezes ao longo do dia. E foque naquilo que ajudará a tomar atitudes práticas para prevenção.

Para auxiliar nessa condição de pânico é importante que as pessoas se orientem em fontes confiáveis e que tirem suas dúvidas com pessoas capacitadas e especializadas no assunto. Excesso de informações de várias redes sociais, mídias e sites diferentes podem haver notícias falsas que podem gerar mais ansiedade, medo e pânico.

Sem sofrimento

Para a prevenção do sofrimento significativo, as orientações são, caso necessitem, é importante procurar desde agora suporte emocional e psicológico online com um psicólogo (a) para não adoecerem emocional e psicologicamente em meio a pandemia, porém realizando as prevenções necessárias, estabelecendo uma rotina saudável mesmo dentro de casa, mantendo as relações sociais mesmo sendo por vídeo chamada é possível seguir com a saúde mental.

Empatia

A OMS defende que se referir a um paciente como “caso de Coronavírus” ou à sua família como “família Covid-19” é uma forma de desumanizá-las em uma situação difícil. Não esqueça que, após a melhora, a vida deles continuará normalmente.

0 Comentários

    Deixe um Comentário

    Login

    Bem vindo! Faça login na sua conta

    Lembre de mim Perdeu sua senha?

    Lost Password