Promotoria e Sabesp de Cardoso firmam ajustes para beneficiar Bombeiros

Reunião do Fundo dos Bombeiros

Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado entre o Ministério Público de Cardoso e a Sabesp – (Companhia de Saneamento Ambiental) daquela cidade vai beneficiar diretamente o Corpo de Bombeiros de Votuporanga.

É que uma ação movida pela promotoria de Cardoso em razão do impacto ambiental provocado nas águas do rio de Cardoso determinou que a Sabesp reparasse o dano ambiental, conforme o Termo de Ajustamento de Conduta. Através deste TAC, o Ministério Público daquela cidade – representada pelo promotor de Justiça, Leandro Lippi determinou que a companhia de abastecimento de água e esgoto de Cardoso se responsabilizasse por este dano ambiental, repassando uma lancha totalmente equipada para atender as necessidades do posto do Corpo de Bombeiros de Votuporanga. O valor da lancha ficou em torno de R$ 36 mil.

Nesta sexta-feira, o comandante dos Bombeiros de Votuporanga – tenente Alex Brito, recebeu a confirmação, via e-mail de que a compra desta lancha já está licitada e será entregue no prazo de 60 dias. Conforme o comandante, a empresa Rojas & Rojas, de Catanduva venceu a licitação pública e fará a entrega da lancha para os bombeiros.

O posto dos Bombeiros possui apenas um barco para fazer o salvamento aquático e treinamento de mergulho. Segundo o tenente, esse barco é insuficiente para atender a demanda, e a nova lancha ajudará no trabalho de salvamento e treinamento das prontidões de serviço.

A lancha de cinco metros de comprimento virá totalmente equipada com sistema GPS, motor, bancos e outros dispositivos adaptados para atender as necessidades dos bombeiros. “Essa lancha vai proporcionar um trabalho mais eficaz e necessário no salvamento aquático e nos treinamentos de nossa equipe”, comentou tenente Brito. O posto vai manter o barco e agora a lancha para este tipo de salvamento e treinamento aquático.

FEBOM

Nesta semana, a comissão do FEBOM (Fundo Especial dos Bombeiros) se reuniu para delinear assuntos de interesse da corporação, como por exemplo, a campanha de arrecadação voluntária, através de uma lâmina anexa aos carnês do IPTU (Imposto Predial, Territorial e Urbano).

Segundo o tenente Alex Brito, tratam-se dos equipamentos de proteção da respiração, que “nos permitem mais segurança para resgatar as vítimas que estão dentro dos locais que estão em chamas”. “Com esses aparelhos, podemos entrar nesses imóveis incendiados, além de recuperar objetos e combater o foco do fogo, sem gastar tanta água”, explica, emendando que cada equipamento custa em torno de R$ 10 mil e seria necessário comprar 4 unidades para Votuporanga.

Porém, uma notícia não tão boa surpreendeu Brito. “De acordo com a Secretaria de Finanças da Prefeitura de Votuporanga, até a manhã da última quarta-feira, 40% do total de contribuintes previstos haviam pago o IPTU à vista (representando pouco mais de R$ 4, 7 milhões). Entretanto, a população destinou apenas R$ 3.922,48. É complicado, pois menos de 1% dos contribuintes que já pagaram o IPTU à vista destinou contribuição voluntária para o Fundo Especial de Bombeiros”, lamenta, não perdendo as esperanças. “Nossa expectativa é arrecadar mais”.

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password