Projeto ajuda a preservar nascentes nas áreas rurais de Votuporanga

De 36 nascentes na região, 28 estão protegidas e com várias árvores. Trabalho envolve conscientização dos produtores rurais.

A preservação das nascentes tem atraído animais e aumentado as matas nativas na região de Votuporanga (SP). O projeto tem a participação de produtores rurais e, como nesta sexta-feira (5) e comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, esta ação mostra como os produtores se tornaram grandes defensores da natureza.

Na propriedade rural de Alcides Caldeira o gado tem lugar certo para beber água. Os reservatórios foram feitos com o objetivo de preservar a nascente e as margens do córrego Marinheirinho, que passa pelo sítio de 17 hectares. A área de preservação permanente foi cercada e recebeu mudas de árvores nativas da região. Sem a interferência dos animais, que impediam o crescimento da vegetação, a mata se recuperou. “Isso serve para o futuro, porque antes a gente desmatava os brejos para poder plantar e hoje a gente vê que estão preservando o a natureza e será bem melhor”, afirma Alcides.

A paisagem mudou e a quantidade de água também. Alcides mora na região há 50 anos e diz que o córrego está mais largo. O ambiente preservado tem atraído visitantes para o sítio, como capivaras, tamanduá bandeira e outras espécies que não eram vistas há muito tempo, voltaram a frequentar a região. “Tem também cotia, lobo guará, tatu tem bastante, vários bicho, até tucano, que antes não tinha e agora tem bastante”, diz o produtor rural.

O projeto Olhos d’Água faz parte do programa Vida ao Marinheirinho, desenvolvido pela Superintendência de Água e Esgoto de Votuporanga, em parceria com a Agência Nacional de Águas. O trabalho envolve a conscientização dos produtores rurais e ações de conservação do solo e cercamento de 28 nascentes da região. “Das 36 nascentes que temos, 28 estão protegidas, vamos trabalhar agora nas outras oito e nas mais que estão surgindo, e também vamos continuar com a capacitação e a educação ambiental dos produtores”, diz o gestor ambiental da Saev Gustavo Gallo.

No início, o produtor rural Laércio Eugênio Biliassi duvidou que as medidas pudessem fazer tanta diferença, mas para evitar problemas com a Justiça, decidiu aproveitar a chance de recuperar às margens do córrego, que não tinham quase nenhuma árvore. “Era uma margem limpa, não tinha proteção de nada, agora você vê que a mata segura as matérias orgânicas que descem para não ter mais assoreamento. A mudança foi grande, ajudou aos proprietários, porque agora tem mais água”, diz Laércio.

A mata funciona como um escudo de proteção do córrego, evita o assoreamento e a escassez de água. A preservação ambiental não traz benefícios só para quem mora no campo. A recuperação das nascentes garante o abastecimento da Represa Municipal, de onde é retirada quase metade da água consumida pelos moradores de Votuporanga. “A quantidade de água aumentou bastante e na represa praticamente tivemos de fazer pouca intervenção na época rígida da seca e a produção de água das nascentes é importante”, afirma Gustavo.

O produtor rural de Votuporanga, que não faz parte do projeto e gostaria de ajudar na preservação das nascentes, é só entrar em contato com a Saev Ambiental. O telefone é o (17) 3405-9195. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password