Procon notifica 87 supermercados em 2 dias de fiscalização para evitar alta de preços do arroz e do óleo em São Paulo

Operação Preço nas Alturas compara valores de compra com os de venda de produtos da cesta básica para evitar preços abusivos praticados por comerciantes. Estabelecimentos responderão a processo administrativo e poderão se defender. Foram supermercados na Capital e 60 no interior.

O Procon de São Paulo notificou 87 supermercados nas últimas 48 horas a prestar esclarecimentos sobre a alta no preço de produtos da cesta básica. Foram supermercados na Capital e 60 no interior.

Segundo o Procon, a Operação Preço nas Alturas começou nesta segunda-feira (14) para apurar “aumentos injustificados de preços” em itens da cesta básica.

Os agentes de fiscalização pedem notas fiscais de compra dos produtos, verificam os preços que estão sendo revendidos ao consumidor e analisam a margem de lucro. Os principais itens fiscalizados pelos agentes são o arroz , óleo e carnes vermelhas.

Os maiores preços encontrados até agora foram:

  • pacote de 5 quilos do arroz tipo 1 – R$ 27,90
  • óleo de soja – R$ 7,73
  • quilo do contrafilé – R$ 65

De acordo com o Procon, a operação continua nos próximos dias.

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) informou que o setor foi o primeiro a manifestar preocupação com a alta nos preços repassados por produtores de alguns alimentos. E que tem pedido aos supermercados que negociem com fornecedores para evitar uma escalada ainda maior nos preços.

Nesta segunda-feira (14), dentre as carnes (por quilo), o Procon localizou estabelecimentos vendendo pelo valor máximo de R$ 47,69 o quilo do patinho; R$ 55,61 no coxão mole; R$ 53,11 no coxão duro e R$ 64,99 no contrafilé.

De acordo com a entidade de defesa do consumir, a operação continua nos próximos dias em São Paulo para garantir que os itens não tenham preços abusivos sendo cobrados nas prateleiras.

Fiscalização

Em razão das denúncias e notícias relatando aumentos nos preços de alimentos essenciais da cesta básica, equipes de fiscalização estão visitando supermercados e locais de venda ao varejo para monitorar e identificar eventuais aumentos em todo o estado.

Segundo Procon-SP, as empresas serão notificadas a apresentar notas fiscais de compra e venda dos produtos e, caso seja identificado um aumento desproporcional nos valores, responderão a processo administrativo no órgão.

O Procon-SP também afirma que os consumidores podem fazer denúncia de estabelecimentos que estão praticando preços altos através do site da entidade ou das redes sociais, marcando @proconsp e indicando o endereço ou site do estabelecimento denunciado.

FONTE: Informações | g1.globo.com

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password