Presos dois acusados de assassinar o travesti “Vitória”

Em uma ação conjunta das polícias Civil e Militar de Votuporanga foram presos agora pouco (por volta das 12h30) dois acusados do assassinato de Marcos Gustavo da Silva Costa, 21  anos, o travesti “Vitória”, ocorrido na madrugada do último domingo.

O seu corpo foi encontrado mutilado por uma outra travesti colega de “Vitória e o crime foi cometido com requintes de cruledade.

Após uma rápida investigação e informações que chegaram até à polícia, o trabalho conjunto da Civil e Militar prendeu os acusados deste bárbaro crime dentro de uma residência, no bairro Pró-Povo.

Os acusados confessaram o crime e, em entrevista a imprensa deram detalhes importantes sobre o assassinato. Os acusados são enteado e padrasto e estão residindo em Votuporanga, há cerca de um ano e meio.

Em entrevista a reportagem, os acusados Adenildo Torres da Silva, 26 anos, pedreiro e seu enteado Regivan Francisco dos Santos, 20 anos, confessaram o crime e disseram que o motivo teria sido um desacordo no valor do programa sexual.

Segundo Adenildo, ele e seu enteado estavam momentos antes do crime em um baile forró quando decidiram ir até o ponto de prostituição localizado na avenida Nasser Marão e lá combinaram em fazer um programa com “Vitória”. No trajeto até o local do crime, houve desavenças entre o valor pedido por “Vitória”, R$ 100,00 e o valor oferecido pelos dois R$ 40,00.

No auge da discussão, a travesti teria tirado de sua bolsa um canivete e foi nesta hora que um dos acusados Regivan, que estava no bando traseiro do veículo Del Rey, teria dado uma “gravata” na vítima que, desacordada foi arrancada do veículo e jogada no local do crime. Em seguida, Adenildo teria cometido o crime com o próprio canivete da vítima.

Segundo ele relatou, houve uma intensa discussão entre a vítima e os acusados, que, inclusive o travesti teria desferido golpes de canivete em seu corpo. Preso em uma das celas da Delegacia de Investigações Gerais – DIG, ele mostrou marcas de risco em sua barriga que, segundo ele, foram os golpes de canivete desferidos pela vítima. Desacordada, “Vitória” foi brutalmente assassinada a facadas desferidas pelos acusados.

Adenildo contou que primeiro golpeou o pescoço da vítima, em seguida, desferiu três facadas na coxa esquerda, duas no peito, e ainda cortou o pênis do travesti e arrancou a orelha esquerda da vítima, jogando-a em um terreno baldio próximo ao local do crime. A bolsa e a peruca da vítima foram encontradas em um terreno baldio localizado no Jardim Colinas.

Os dois confessaram ainda que estavam totalmente embriagados e que após cometerem o crime, retornaram às suas casas, no bairro Pró-Povo. Disseram ainda que o crime não teve outra motivação, ou seja, por roubo ou homofóbico e apenas foi cometido em razão do desacordo no valor do programa.

Investigação

O delegado titular da DIG,  João Donizete Rossini disse que pedirá ainda hoje a prisão preventiva dos acusados e prosseguirá nas investigações. Mesmo com a negativa dos acusados, não está descartada a hipótese da participação do terceiro acusado no crime. A polícia chegou aos acusados após denúncias anônimas e também imagens de câmeras de segurança que mostraram o veículo usado pelos criminosos no dia do homicídio, um Ford Del Rey, de propriedade de Adenildo.

As marcas de sapado e do pneu do carro também foram periciadas e ajudarão nas provas contra os acusados. (fotos: João Paulo Silva)

 

 

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password