Presídios interceptam drogas, estimulantes sexuais e cigarros com maconha

Materiais foram encontrados com visitas de sentenciados ao passarem por procedimentos de revista

Neste final de semana (27 e 28), estabelecimentos prisionais subordinados a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado (Croeste) registraram tentativas frustradas de inserção de objetos ilícitos nos presídios e que foram barrados durante os procedimentos de revista. Vale lembrar que os visitantes flagrados são excluídos do rol de visitas e levados à Delegacia de Polícia Civil mais próxima, sem prejuízo de responderem na esfera criminal. Também é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os materiais podendo, ainda, ser instaurados Procedimentos de Apuração Preliminar para apurar supostas responsabilidades funcionais.

Sábado (27 de janeiro)
Penitenciária “Paulo Guimarães” de Lavínia (III)
Neste final de semana, cinco mulheres com objetos ilícitos foram impedidas de entrar na unidade. Uma delas, ao entrar na sala do scanner corporal para fins de revista, exalava um cheiro muito forte que despertou a atenção dos agentes penitenciários, os quais descobriram que havia erva verde aparentando maconha nas calças da mulher. Ela disse ter adquirido a droga em São Paulo, que seria para seu próprio uso e que o sentenciado que seria visitado de nada sabia. As outras quatro mulheres foram flagradas pelo scanner corporal com invólucros introduzidos na genitália. A visita K.K.J.Z. afirmou que recebeu o embrulho acreditando tratar-se de um celular, mas ao ser aberto pelo presídio, viu que se tratava de erva esverdeada aparentando maconha, por cuja entrega receberia R$ 800,00. Já a visitante M.N.I.S. trazia consigo pó branco aparentado cocaína e disse que não sabia do que se tratava, pois apenas deveria entregar o material, recebido na cidade de Lavínia por uma desconhecida. Com M.C.S.O. foi encontrando 01 (um) celular enquanto com I.A.M.I. haviam 115 gramas de maconha, segundo ela, adquirida em Tatuí para ser entregue ao marido que cumpre pena no local. Em todos os casos, as mulheres foram suspensas do rol de visitas e encaminhadas à delegacia para o que couber.

Penitenciária de Junqueirópolis    
Por volta das 08h, servidores do setor de portaria efetuaram revista nos alimentos (jumbo) trazidos pelas visitantes de sentenciados, encontrando em meio aos pertences da companheira de um deles 40 (quarenta) comprimidos aparentando tratar-se de estimulante sexual.  Além de ser suspensa do rol de visitas, a mulher foi levada à delegacia para providências de praxe e o sentenciado removido para o Pavilhão Disciplinar para apuração dos fatos.

Penitenciária “Silvio Yoshihiko Hinohara” de Presidente Bernardes
Duas visitantes do sexo feminino com, 25 e 27 anos, respectivamente, foram surpreendidas tentando entrar com material ilícito na Penitenciária “Silvio Yoshihiko Hinohara” de Presidente Bernardes. No primeiro caso, funcionários descobriram que dentro de um maço de cigarros havia substância esverdeada, supostamente maconha. A mulher foi encaminhada para a delegacia e lá dentro foram encontrados mais 40 (quarenta) comprimidos de estimulante sexual escondidos na barra da calça da mesma.

A outra visitante foi surpreendida quando passava por revista no Boddy Scanner, onde foi detectado a presença de um objeto em seu órgão sexual. Após ela retirar o material, verificou-se tratar de pó branco que ela alegou ser gesso, porém, como de praxe, a delegacia enviou o material para análise. Em ambos os casos, as mulheres foram suspensas do rol de visitas e encaminhadas à delegacia para as providências cabíveis e instaurados Procedimentos Disciplinares para apurar a participação dos sentenciados que receberiam os produtos.

Penitenciária “João Batista de Santana” de Riolândia
Durante os procedimentos rotineiros de revista com o equipamento Boddy Scanner, foi constatado que a companheira de um sentenciado portava 01 (um) invólucro introduzido na genitália. Encaminhada até a Santa Casa para realizar exame de Raio-X ficou confirmada a suspeita. Após a retirada, notou-se que a substância aparentava ser cocaína. A Polícia Militar foi acionada e depois de levar a suspeita até à delegacia, encontrou outro invólucro de entorpecente no imóvel onde a mulher estava hospedada. Ela foi suspensa do rol de visitas e o sentenciado dirigido ao Pavilhão Disciplinar para apuração dos fatos.

CDP de São José do Rio Preto
Ao passar pela revista no Boddy Scanner, a visitante A.P.A.C foi questionada por funcionários se trazia algo oculto na altura da região abdominal, como apontava a imagem do aparelho. A mulher então confessou que sim, retirando em local próprio 02 (dois) mini celulares do corpo. Ela disse que foi abordada por uma desconhecida, em um posto de gasolina, para realizar o serviço por R$ 1.000,00. O material seria entregue ao irmão que cumpre pena no local, mas que ele não sabia da encomenda. Diante disso, a visita foi conduzida ao plantão policial, onde foi lavrado Boletim de Ocorrência (B.O), e suspensa do rol de visitas, sendo ainda instaurado Procedimento Disciplinar Apuratório para verificar a participação do sentenciado.

Penitenciária de Irapuru
Uma mulher que visitaria o companheiro na unidade prisional tentou burlar a segurança e entrar com cocaína escondida na genitália, sendo descoberta durante o procedimento de revista pelo Boddy Scanner. Em seguida, a Polícia Militar e a Polícia Civil foram acionadas para providências de sua alçada, a mulher apreendida foi suspensa do rol de visitas e encaminhada à delegacia e o sentenciado conduzido, preventivamente, ao Pavilhão Disciplinar para averiguação dos fatos.

Penitenciária “Tacyan Menezes de Lucena” de Martinópolis
Três mulheres tentaram entrar na unidade prisional com maconha dentro de invólucros introduzidos na genitália. Em todos os casos, as visitas flagradas durante a revista foram encaminhadas à Delegacia de Polícia, suspensas do rol de visitas e os sentenciados responderão a Procedimento Disciplinar.

Domingo (28 de janeiro)
Penitenciária “Lindolfo Terçariol Filho” de Mirandópolis
Ao submeter a visitante J.A.L.R. a revista no equipamento Boddy Scanner, foi notado que ela trazia algo na altura da pélvis. Indagada, negou estar portando qualquer objeto, mas aceitou se dirigir até a Santa Casa para realização de exame de Raio-X onde foi confirmada a suspeita. Deste modo, a mulher retirou um invólucro que trazia no ânus contendo 127 gramas de suposta maconha. Em seguida, foi encaminhada à delegacia para providências e suspensa do rol de visitas.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password