Presidente do Votuporanguense promete apurar conduta de Cavalo

Atacante Anderson Cavalo foi expulso por agredir um defensor do RB Brasil dentro da área do adversário. Confusão generalizada foi provocada na sequência.

O presidente do Votuporanguense, Marcello Arenas Stringari, fez uma declaração pública, em nota publicada no site oficial do clube, afirmando repudiar qualquer forma de violência e prometendo apurar a conduta de Anderson Cavalo para eventuais sanções disciplinares e administrativas.

O atacante do CAV se envolveu em uma briga com jogadores do RB Brasil, na partida do último sábado, pela Copa Paulista, que terminou empatada em 0 a 0.

A confusão começou quando Cavalo foi expulso por agredir um defensor do RB Brasil dentro de uma disputa dentro da área. Após sair de campo, o jogador seguiu discutindo com integrantes da comissão técnica do RB Brasil, voltou a agredir os adversários e acabou causando uma briga generalizada. A partida foi disputada na tarde do último sábado em Votuporanga, a 522 km de São Paulo.

– Importa salientar que observando calmamente as imagens divulgadas pela imprensa, resta evidente que no momento de sua saída por conta da expulsão, o atleta foi notoriamente provocado pelo colaborador do departamento médico do Red Bull Brasil, de maneira a insultá-lo inclusive proferindo injúrias discriminatórias, o que, ato contínuo, ocasionou todo o tumulto – avalia o presidente do CAV.

Na nota, ele diz ainda que nada justifica o comportamento agressivo do atleta, mas que Cavalo sofreu grande revide pelos integrantes da comissão técnica e atletas do RB Brasil.

– O jogador também sofreu grande revide por parte de vários integrantes da comissão técnica e atletas do RB Brasil, que nitidamente em maior número, começaram um verdadeiro “linchamento”, transformando o ora suposto “agressor” em “vítima” que passou a se defender, assim, as imagens demonstram de modo incontestável – fala Stringari.

O presidente disse que qualquer conduta antidesportiva cabe às jurisdição administrativa e que devem ser julgados os atos praticados por parte dos dois lados, que são manifestamente violadoras dos princípios desportivos.

– Concluímos assim, por manifestar nossa discordância da tentativa de imputar somente ao nosso atleta a responsabilidade pelos fatos ocorridos, e de modo leviano, nosso adversário tentar induzir a imprensa pela “falta de segurança” que não existiu, parabenizando nossa grande torcida, que se comportou de modo ímpar em todos os momentos, e, sem embargos, apresentamos nossas escusas pela atitude antidesportiva dos envolvidos de ambos os lados – finaliza Marcello. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password