Prefeitura planeja ‘devolver’ morador de rua a cidade natal

Mão Amiga quer moradores de rua em cidades de origem; Atualmente, entidade atende 21 pessoas em situação de vulnerabilidade

A Casa de Estar Mão Amiga foi inaugurada ontem pela manhã, no bairro São João, em Votuporanga. O principal objetivo do programa é oferecer condições para que os moradores de rua de outras cidades atendidos possam retornar aos municípios de origens. O secretário de Direitos Humanos de Votuporanga, Emerson Pereira, afirmou que a instituição é um local de passagem para os moradores de rua. “Queremos que tenham condição de voltar para as famílias. Ninguém deve ser morador de rua para a eternidade”, disse. Emerson contou que, quando foi criada a pasta em abril de 2013, Votuporanga “estava com problemas com os moradores de rua, que causavam transtornos no centro da cidade.” “Eles deveriam ter ambiente para descansar, mas que pudessem ter opção de trabalhar. Votuporanga possui duas casas destinadas para este público: Irmãos de Emaús e Casa Estar. No primeiro, os assistidos são voltados para os trabalhos internos”, explicou. A Casa de Estar Mão Amiga tem hoje 21 ex-moradores de rua, mas a capacidade de atendimento chega a 30. O prefeito Junior Marão disse que, para resolver os conflitos sociais envolvendo moradores de rua, diferentes setores da sociedade foram acionados. “Começamos a buscar a solução. Estivemos reunidos no meu gabinete e depois deste dia, as ações surtiram efeito. O programa “Votuporanga em Ação 2″, que oferece emprego para este público foi uma das alternativas”, afirmou. Marão contou que a sede da Mão Amiga foi cedida pelo Fundo Social de Solidariedade (FSS). O local era usado para o estoque das doações do fundo que agora foi transferido para o Banco de Alimentos, na avenida Emílio Arroyo Hernandes. “O espaço vai atender melhor quem precisa de alojamento e pode crescer ainda mais”, disse. O vereador Douglas Lisboa (PSDB) afirmou que o Poder Legislativo se coloca à disposição da entidade. Já o vereador Osvaldo Carvalho (Pros) comentou que foram protocolados vários pedidos na Casa de Leis para que a instituição pudesse ter uma sede.

Luta

Jerri Aparecido da Costa Lau, presidente da Mão Amiga, disse que a batalha foi grande. “Vamos trabalhar agora ainda mais, para a comunidade ter novas oportunidades”, afirmou.

Testemunho

Waldomiro Ramos Filho, de 40 anos, está há seis meses na entidade. Ele trabalhava em uma usina em Araçatuba e para não morar na rua, veio para Votuporanga. “Estou procurando local para trabalhar, quero mexer com a terra”, disse. Enquanto não acha serviço, Waldomiro cuida da horta da Mão Amiga. A Casa de Estar fica na rua Tomaz Paes da Cunha Filho, no bairro São João.

Andressa Aoki
andressa.aoki@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password