Prefeitura alerta: lixo não deve ser varrido para dentro dos bueiros

Se entupidos por entulhos, os bueiros transformam-se em uma espécie de estufa, aumentando as condições para proliferação de mosquitos.

A Prefeitura de Votuporanga, por meio da Secretaria da Saúde, realiza um trabalho de rotina com o intuito de combater a proliferação de pernilongos na cidade. A principal recomendação à população é para o hábito da varrição incorreta de folhas, terra e lixo acumulados, e descartados nos bueiros. Apesar do  clima seco, os insetos, como o Aedes Aegypti se proliferam na água empossada no material orgânico desprezados nesses pontos, favorecendo a infestação.

A fim de contribuir para reduzir a infestação de pernilongos, uma força-tarefa empenhada com a parceria da Secretaria de Obras reforçou as ações de trabalho de limpeza e desobstrução de bueiros com a retirada desses resíduos, como consequência da varrição errada. Alguns pontos críticos estão sendo levantados e limpos.

Ininterruptamente o Secez promove os mutirões com as visitas casa a casa realizados pelos agentes de endemias e de saúde, as ações de bloqueio de criadouros e nebulizações, além do trabalho educativo junto à população em escolas, instituições, clubes de serviços, entre outros.

Reforça-se o pedido à população para que não descarte em via pública resíduos como garrafas, latas, embalagens plásticas, restos de construção nas calçadas, que acabam dentro dos bueiros, obstruindo galerias ou sendo levados pelas chuvas para os bueiros.

A população também pode contribuir com outras medidas simples, como não deixar sacolas de lixo na rua com muito tempo de antecedência do horário do caminhão de coleta, pois a chuva o reforço das ações de trabalho de limpeza nos córregos e desentupimento dos bueiros com a retirada das folhas e lixo acumulados pode vir e carregá-las para os bueiros. Outra dica é não deixar restos de materiais de construção expostos na via pública.

O período seco e pouco úmido não é favorável para a proliferação desses mosquitos, embora, o interior dos bueiros, quando entupidos, quentes e úmidos transformam-se em uma espécie de estufa, aumentando as condições da formação de criadouros nesta época do ano, é o que explica o chefe do Setor de Controle de Endemias e Zoonoses (Secez), Nilton Santiago. “Não pode haver descuidos, seja dentro ou fora de casa. Essa parceria com os moradores é imprescindível para que o combate ao pernilongo ou ao mosquito de qualquer espécie dê certo. Hoje nosso maior desafio está nos bueiros e a população precisa se sensibilizar”, pede Santiago.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password