Polícia usa aplicativo para prender estuprador

Com a ajuda de um aplicativo de celular – o BNMP (Banco Nacional de Mandados se Prisão) Cidadão – um homem condenado por ter estuprado a própria filha foi descoberto e preso, na manhã desta quinta-feira, 17, no Centro de Rio Preto.

O jardineiro Amarildo Pereira Trindade, 50 anos, foi detido por policiais da DIG/Dise após registrar um boletim de ocorrência denunciado que seus documentos haviam sido furtados, no último dia 6. Após consultar o nome de Trindade no aplicativo, os policiais constataram que ele era foragido da Justiça do Paraná.

O crime aconteceu em 2010, na cidade paranaense de Cambé. Na época, a garota tinha 10 anos. Trindade foi condenado a oito anos e seis meses de prisão. Ele cumpriu três anos e meio em regime fechado e o restante da pena era cumprido em liberdade condicional. Há cerca de um ano, o jardineiro se mudou para Rio Preto, e inclusive trabalhava na cidade.

Segundo o delegado André Ayruth Balura, uma equipe da DIG tem utilizado o aplicativo BNMP para identificar pessoas que estejam foragidas da Justiça. “Todos os boletins de ocorrência que são registrados na Central de Flagrantes quando caem no nosso sistema, uma equipe pesquisa todos os envolvidos na ocorrência, desde os averiguados, vítimas e testemunhas. O mérito é dos policiais que identificaram esse condenado e com isso o localizamos. Procuramos nos atualizar diariamente e toda ferramente no trabalho de segurança é utilizada”, afirmou o delegado.

À reportagem do Diário, o homem negou que tivesse estuprado a filha. “Minha mulher queria se separar e jogou isso para cima de mim, que eu fiz carícias na menina. Nunca fiz uma coisa dessa”, afirmou Trindade. O jardineiro disse que não se arrepende de nada. “Todos ficam falando que eu estuprei, mas eu não fiz nada. Não tenho do que me arrepender”.

A mudança de Cambé para Rio Preto aconteceu, segundo Trindade, porque ele estava sendo ameaçado. “Quando saí da cadeia, fui ameaçado de morte, e quem não fica com medo? Deixei de assinar a carteirinha no Fórum e tive que mudar para não ser preso”. A manobra deu certo apenas por um tempo. Os policias localizaram Trindade e o preso retornará para Cambé, onde deve cumprir o restante da pena em regime fechado.

Aplicativo

O BNMP Cidadão foi criado com o objetivo de ajudar a identificar pessoas que possuem mandado de prisão em aberto. Através deste aplicativo, é possível realizar consultas no sistema responsável por centralizar os mandados de prisão em todo País digitando o nome do suspeito. Para isso, basta ter acesso à internet. Está disponível para qualquer pessoa que tenha a tecnologia por meio do sistema operacional Androide.

O programa foi desenvolvido pelo Sistema Nacional de Segurança Pública (Sinesp), órgão do Ministério da Justiça em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que disponibiliza o acesso ao Banco Nacional de Mandados de Prisão.

Reportagem publicada pelo Diário no começo de abril mostrou que aplicativos como esse têm sido muito utilizados não só pela polícia, mas também por qualquer pessoa com acesso à internet. Permitem ao próprio cidadão mapear crimes que tenha presenciado, além de descobrir, de forma instantânea, informações como a procedência de veículos digitando o número da placa.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password