Polícia Militar e Prefeitura renovam a Atividade Delegada

Programa depende apenas de trâmites burocráticos junto ao Governo do Estado para passar a valer por mais um ano no município

O programa Atividade Delegada, que por meio de um convênio entre a Prefeitura de Votuporanga e Polícia Militar passou a reforçar o efetivo de policiais nas ruas, principalmente na região central da cidade, está em processo de renovação de contrato. Governo Municipal e a PM comemoram números recém-divulgados de redução de crimes e acidentes com vítimas no município e aguardam apenas liberação da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo para prolongar a parceria por mais um ano.

A Atividade Delegada possibilita que policiais militares auxiliem em ações na cidade durante as horas de folga. Além de aumentar o efetivo nas ruas, a medida visa contribuir para a redução de crimes. Segundo o secretário municipal de Trânsito, Transporte e Segurança, Alberto Casali, o convênio venceu no dia 18 de junho e, por enquanto, está com atividades suspensas, aguardando a assinatura da renovação, que deve acontecer nos próximos dois dias.

Em entrevistas ao A Cidade, tanto Casali, quanto o comandante da Polícia Militar de Votuporanga, capitão Édson Fávero, disseram que estão satisfeitos com a parceria que, segundo eles, tem obtido resultados satisfatórios.

Para o secretário, são vários os motivos para o reforço policial prosseguir. Primeiro, a diminuição do número de acidentes com feridos, que segundo ele está ligada com os oito policiais a mais que vão às ruas diariamente. Segundo, o aumento das vistorias e patrulhamentos. “Eles não fazem apenas missões de fiscalização, mas também a prevenção completa em todos os sentidos. Dão mais segurança. A Atividade fiscaliza praças, busca problemas fora da região central”.

Por sua vez, Édson Fávero diz que a PM mantém o interesse no programa, que também permite que policiais da região venham trabalhar na cidade e tragam experiências diferentes. “Está em fase de renovação e é de interesse a continuação do programa”, afirmou.

 

Criminalidade

O capitão da PM também comentou a reportagem publicada na última sexta-feira (26) nesse jornal, que mostrou a redução em praticamente todas as modalidades criminosas em Votuporanga, na comparação dos cinco primeiros meses de 2014, com o mesmo período de 2015. “A gente analisa de forma positiva, traz um grau de satisfação a todo o efetivo. Entretanto, sabemos que as dificuldades continuam e são imensas”.

Fávero destacou fatores determinantes que resultaram os números positivos, como a PM ter passado a trabalhar com as atividades Dejem e Delegada, (sendo a primeira um programa do Governo do Estado similar ao convênio municipal), uma boa gestão de recursos humanos, trabalho com inteligência e estatística e o fato da responsabilidade das escoltas de presos da penitenciária e CDP de Riolândia não serem mais da alçada da 3ª Companhia que, segundo ele, contribui para que o policiamento fique na cidade e não se desloque mais para outras regiões do Estado.

Segundo o capitão, a modalidade criminosa que mais tem criado problemas para a PM recentemente é o furto de veículos, na maioria das vezes praticado por menores de idade. “Cada vez mais adolescentes infratores se envolvem nesse tipo de crime. A gente sabe que eles não ficam presos. Nesse semestre queremos atingir resultados satisfatórios para a comunidade contra esse tipo de delito. Vamos trabalhar para isso, para obter resultados sempre menores que os do período anterior. O objetivo é melhorar”, avaliou.

 

Acidentes

Fávero também comemorou os dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública com relação à diminuição no número de feridos no trânsito (foram 133 a menos em 2015 até o mês de maio, em comparação com o mesmo período do ano passado). “É um tipo de ocorrência que afeta diretamente o policiamento preventivo que prestamos à comunidade. Em cada acidente que atendemos, são de duas a quatro horas que a viatura deixará de fazer o patrulhamento.

 

Temos adotado medidas efetivas e duras na diminuição de acidentes de trânsito e, consequentemente, de vítimas”, disse Fávero, completando que os resultados são fruto de um trabalho conjunto com a Secretaria de Trânsito, que entra com a engenharia de tráfego e campanhas educativas.

Fávero alerta os motoristas que infrações como excesso de velocidade, abuso de álcool na direção, falta do uso de cinto de segurança e uso do aparelho celular na direção são situações que “continuam sendo fiscalizadas de forma bastante rigorosa e que, certamente, estão contribuindo com a redução de acidentes”.

Jociano Garofolo

garofolo@acidadevotuporanga.com.br

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password