Polícia investiga caso de cão que foi queimado com óleo quente

O caso do cachorro que foi espancado, morto e queimado com óleo quente será investigado pela Polícia Civil de Votuporanga. O boletim de ocorrência foi registrado nesta segunda-feira (18), pela Sociedade Protetora dos Animais da cidade. O cão foi levado ainda vivo a um veterinário, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo os voluntários da entidade que prestaram atendimento ao animal, o cachorro foi espancado provavelmente com algum pedaço de madeira. Além disso, óleo quente foi despejado no corpo do animal.

O cachorro foi encontrado pela dona que pediu ajuda de agentes da Prefeitura que recolhiam amostras de sangue de cães no bairro para exames de leishmaniose.

Os voluntários foram acionados e registraram o boletim. “Isso foi um crime, nada justifica o que essa pessoa fez. Nós vamos ajudar a polícia a investigar o caso. Já ouvimos alguns moradores do bairro que negaram que a dona do cão poderia ter feito algo. Ela dava atenção e carinho ao animal e era uma pessoa simples”, afirma o presidente da associação, Leonardo Brigagão.

A dona de casa Maria da Costa, de 50 anos, afirmou que estava internada no hospital e quando chegou em casa, na sexta-feira (15), encontrou o animal desmaiado e com várias feridas pelo corpo.

Ao constatar a situação do animal, ela acionou uma equipe de saúde da prefeitura que passava pelo bairro. “Eu o encontrei na rua e comecei a cuidar dele. De dia ele ficava solto na rua e de noite ele dormia no meu quintal. Tem muitos cachorros no bairro e não imagino quem possa ter feita uma crueldade destas com ele”, afirma a dona de casa.

Leonardo Brigagão utilizou o laudo do veterinário e fotos do animal para registrar o boletim de ocorrência. Segundo o presidente da associação, casos de maus tratos são comuns na cidade e a instituição costuma receber umas 10 denúncias por dia. “Não temos ideia de quem tenha feito isso, mas acreditamos que seja uma pessoa do próprio bairro. Vamos ajudar a polícia a encontrar o responsável”, diz.

O caso

A dona de casa Maria da Costa, de 50 anos, afirmou que estava internada no hospital e quando chegou em casa, na sexta-feira (15), encontrou o animal desmaiado e com várias feridas pelo corpo. Com isso, ela chamou a equipe da prefeitura que passava pelo bairro. “Eu o encontrei na rua e comecei a cuidar dele. De dia ele ficava solto na rua e de noite ele dormia no meu quintal. Dava comida e água para ele. Tem muitos cachorros de rua no bairro e não imagino quem possa ter feita uma crueldade destas com ele”, afirma.

Uma ONG, a Sociedade de Proteção aos Animais de Votuporanga, foi chamada para ajudar. O cão foi levado ainda estava vivo e foi levado a um veterinário, mas não resistiu aos ferimentos. O caso deverá ser investigado pela Polícia Civil da cidade.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password