Polícia fecha o cerco contra produtos vindos do Paraguai

O contrabando de produtos trazidos do Paraguai continua tirando o sono de comerciantes do lado brasileiro.

 

Eles afirmam que se por um lado grupos de contrabandistas se oferecem para entregar as mercadorias fora da cota no Brasil, por outro, empresas brasileiras também buscam os produtos com facilidade para revender no comércio brasileiro.

As autoridades policiais dos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, estão fechando o cerco contra o contrabando de mercadorias vindas do Paraguai. É crescente a quantidade de mercadoria sem nota entrando no País.

A cada dia aumenta o numero de comerciantes, ambulantes, e autônomos que fazem dos produtos contrabandeados do Paraguai sua fonte de subsistência.

O fato de o consumidor atender a cota brasileira e se deslocar até o Paraguai para comprar mais barato é um direito do cidadão, o que não prejudica o comércio. O grande problema está nos supostos transportes de carga, que podem estar inclusive abastecendo revendas ilegais do lado brasileiro.

O consumidor ainda corre riscos de investir em produtos sem qualidade. O cliente deve estar atento às falsas promessas de garantias para produtos piratas. Na maioria das vezes o consumidor é obrigado a gastar ainda mais pela manutenção ou na compra de um novo produto.

Segundo as autoridades não há problema algum, desde que os consumidores paguem os impostos estipulados no Brasil, porem sempre encontram uma forma de ludibriar a lei e atravessam a fronteira sem pagar esses impostos.

As autoridades tem conhecimento da existência das conhecidas “mulas” para transporte até o lado brasileiro, e assim conseguem passar a fronteira com mercadorias em valores muito acima da cota.

Para as autoridades é preciso que ocorra o aumento do efetivo nas fiscalizações, mesmo com número insuficiente diariamente são feitas apreensões de grande quantidade de mercadorias sem origem.

São celulares, CDs, DVDs, Aparelhos de Som, brinquedos, máquinas fotográficas, cigarros e etc. è comum encontrar todos esses produtos nas ruas, galerias e lojas sem fiscalização alguma.

A fiscalização a partir de agora intensificará ações também nas lojas e lugares que são vendidos tais produtos.

 

Quem for flagrado com mercadorias vindas do Paraguai sem nota a respectiva nota terá a mesma aprendida, e o dono será encaminhado para a sede da policia federal mais próxima poderá responder pelos crimes de contra bando e descaminho, dependendo do produto o infrator pode ficar preso.

Em Santa Fé do Sul o delegado titular Helio Molina Jorge afirmou que a policia civil vai intensificar as fiscalizações contra esses produtos e seus responsáveis. O delegado informou que as denuncias anônimas que poderão ser feitas pelo número 197 ajudam muito. Correio de Santa Fé

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password