Polícia desmonta quadrilha de estelionatários

A Companhia de Ações Especiais da Polícia Militar (Caep) de Rio Preto prendeu na tarde desta quinta-feira, 17, quatro membros de uma quadrilha de estelionatários. Segundo a polícia, os investigados vendiam, principalmente, panelas, fáceis de serem passadas para frente. Os produtos eram comprados pela internet no nome de pessoas físicas e empresas falidas. De acordo com o depoimento de um dos integrantes, a movimentação de dinheiro no mês passado chegou a R$ 100 mil.

A polícia recebeu a denúncia que, em uma casa do bairro Boa Vista, havia grande movimentação de veículos. Um deles era uma GM Montana preta, que descarregava produtos no local. Após identificar o dono do veículo, conseguiram abordar o suspeito, de 55 anos, no cruzamento da avenida Presidente Roosevelt com a rua Oswaldo Aranha. Ele portava um documento, que confessou ser falso. O homem, suspeito de ser o chefe da quadrilha, já era procurado por estelionato.

O suspeito não quis indicar o local onde os produtos eram armazenados, mas a polícia já tinha o endereço e seguiu com o homem até o local indicado na denúncia. Lá, encontraram a namorada do suspeito, de 40 anos. A casa funcionava como escritório da empresa. No local, foram encontrados panelas, condicionadores de ar e gabinetes de computadores, todos embalados.

Foram então para o endereço da ex-mulher do suspeito, de 39 anos, onde encontraram mais panelas, assadeiras e frigideiras, todos embalados.

Os policiais seguiram então para um terceiro endereço, onde estava um homem, que informou ser funcionário e fazer parte do esquema, recebendo 30% de todo o lucro. Segundo ele, no mês passado foram movimentados R$ 100 mil. No local foram encontrados mais objetos embalados para venda.

“A investigação continua. Provavelmente, tem mais pessoas envolvidas, deve ter outros locais com mais mercadorias”, afirma o subtenente Luís Antônio Ferreira, da Caep. Segundo ele, já foi encontrado o nome de uma pessoa em um boleto de compra realizada pela quadrilha. A polícia vai verificar se o nome é verdadeiro.

Nos três endereços, ao todo, os policiais apreenderam documentos, folhas de cheque em branco e preenchidas, condicionadores de ar, três gabinetes de computador, um notebook, quatro toners de tinta, dez lâmpadas, 24 palhetas de carro, 12 celulares e 130 itens como panelas, chaleiras, leiteiras e formas.

Os membros do esquema foram ouvidos e liberados. Eles responderão por estelionato e associação criminosa. Como já era procurado, o chefe da quadrilha foi preso e responderá por estelionato, uso de documento falso e associação criminosa. Millena Grigoleti/Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password