Polícia de Valentim Gentil descarta latrocínio e investiga homicídio de jornalista encontrado em recinto

A polícia de Valentim Gentil que investiga a morte do jornalista Hélton Souza, de 28 anos, descartou ontem a possibilidade de latrocínio, roubo seguido de morte.

O corpo da vítima foi encontrado na entrada do recinto de exposições de Valentim Gentil, que está em construção. A polícia suspeita que o jornalista teria sido enforcado, já que a camiseta dele estava enrolada no pescoço. A vítima não apresentava nenhum tipo de ferimento no corpo e estava seminua.

De acordo com testemunhas, um pintor que iria trabalhar no prédio foi o primeiro a ver o corpo. Ele ainda tentou acordar Hélton, mas quando percebeu que a vítima estava sem vida, ligou para a polícia.

O caso é investigado pela Polícia Civil e os delegados apenas confirmaram que o crime foi registrado como homicídio e descartaram a hipótese de latrocínio. O carro do jornalista foi encontrado em uma estrada vicinal a aproximadamente dois quilômetros do recinto.

Hélton trabalhou em jornais de Votuporanga, São José do Rio Preto e Araçatuba. Atualmente, ele era assessor de imprensa da Santa Casa de Fernandópolis e morava com a família em Pedranópolis. (g1.globo.com)

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password