Polícia confirma a prisão do “Maníaco da Cruz” no Paraguai

A Comissaria de Polícia de Horqueta, cidade paraguaia a aproximadamente 130 quilômetros de Ponta Porã (MS), anunciou nesta segunda-feira (29) a prisão de um jovem identificado preliminarmente como Dionathan Celestrino, de 21 anos, conhecido no Brasil como o Maníaco da Cruz.Ele foi preso por volta das 6h30min do último sábado (27), em uma pensão onde estava hospedado.

 

Dhionatan Celestrino, jovem que ficou conhecido como ‘Maníaco da Cruz’ De acordo com as informações da Policia Nacional do Paraguai, Dhionatan estava trabalhando em um lava jato da cidade e morando no hotel em que foi preso.Logo após a sua prisão, o jovem foi encaminhado para a 3ª Comissária de Policia de Horqueta, ligada ao Departamento de Concepcion, próximo a Assunção, capital do Paraguai. Maníaco da Cruz escapou na madrugada do dia 03 de março da Unidade Educacional de Internação (Unei) de Ponta Porã, onde ele estava internado.As autoridades paraguais aguardam agora a identificação positiva e verificam se há pedido de prisão contra ele registrado junto à Interpol.

 

Caso se confirme, Dionathan será entregue às autoridades brasileiras.A Polícia Nacional do país vizinho espalhou cartazes do acusado em vários municípios. “Desenvolvemos um trabalho em conjunto e eles estão em posse de todas as informações do foragido”, comentou afirmou o tenente coronel da Polícia Militar em Ponta Porã, Ulisses César Alcarás. Desde que escapou da internação, as informações sobre o paradeiro de Dhionatan ‘brotam’ nas cidades sul-mato-grossenses, principalmente onde o autor dos crimes possui parentesco, como Dourados – onde a mãe mora – e Rio Brilhante – terra onde aconteceu os assassinatos

O jovem foi preso em 2008, após assassinar três pessoas e assustar a cidade de Rio Brilhante, distante 55 quilômetros de Dourados. Na época, ele escolhia e classificava as vítimas de acordo com o próprio julgamento.O primeiro crime aconteceu em 2 de julho daquele ano, quando matou o pedreiro Catalino Gardena, que era alcoólatra e o deixou jogado em uma construção, escrevendo em seu peito INRI, que traduzido do latim para o português significa Jesus de Nazareno Rei dos Judeus.A segunda vítima do então adolescente foi a homossexual Letícia Neves de Oliveira. Em 24 de agosto ela foi encontrada morta em um túmulo do cemitério do município. O que chamou a atenção é que ela foi deixada em ‘formato de cruz’.

O terceiro homicídio foi contra uma adolescente de 13 anos, onde após executar o crime, Dhionatan deixou um bilhete próximo ao seu corpo com vários desenhos em formato de cruz e letras soltas que formavam a palavra inferno.Ele foi apreendido no dia 9 de outubro de 2008 em sua residência. Os policiais encontraram no quarto do criminoso, fotos e recortes de jornais com os seus crimes e também uma idolatria em relação à Francisco de Assis Pereira, conhecido como Maníaco do Parque, que aterrorizou mulheres frequentadoras de um parque da cidade de São Paulo.

Rádio 94 FM Dourados

Supostas aparições em Fernandópolis e região

As policias civil e militar de Fernandópolis desmentiram a informação de que o “Maníaco da Cruz” estaria na cidade. Segundo as autoridades policiais, trata-se apenas de um boato implantado para assustar a população.

O boato se espalhou com tamanha força, que mães fernandopolenses já chegaram a impedir seus filhos de ir à escola com medo do assassino. Há informações ainda, de que diretores de escolas se reuniram com os pais para alertá-los sobre o assunto. Uma rede de pânico que atingiu proporções inimagináveis.

O MANÍACO 

Em 2008, Dionathan Celestrino, na época com 16 anos, matou três pessoas na cidade de Rio Brilhante no Mato Grosso do Sul, sempre deixando os corpos em posição de crucificação (por isso o nome de Maníaco da Cruz).

A frieza com que Dionathan cometeu os crimes ficou marcada na história policial de do estado. Ainda adolescente, ele seguia um ritual macabro – uma espécie de julgamento – para decidir pelas mortes das vítimas.

Abordadas aleatoriamente, elas eram interrogadas sobre a crença em Deus e a vida sexual. Dionathan concluía que as pessoas que admitiam crer em Deus, mas que já não eram mais virgens, eram “impuras” e, por isso, deveriam morrer. Duas vítimas do maníaco eram homossexuais.

FUGA 

O pânico se espalhou quando ele fugiu no último dia 3 de março da Unei – Unidade Educacional de Internação – onde estava internado. Desde então, trotes e “brincadeiras” na internet apontavam a aparição dele em diversas cidades do país e no Paraguai.

O maníaco chegou a “aparecer” em duas cidades, distantes mais de mil quilômetros, no mesmo dia. Uma brincadeira de mau gosto que assustou diariamente centenas de pessoas.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password