Pesquisa mostra uso dos meios de comunicação por empresários

Agências de publicidade e anunciantes têm fortes motivos para olhar com mais atenção para os donos de micro e pequenas empresas (MPEs). Pesquisa realizada pelo Sebrae-SP chamada “Veículos de Comunicação: onde os empreendedores buscam informação?” mostra que esses empresários formam um expressivo segmento consumidor de conteúdo e, paralelamente, de produtos e serviços que pode ser muito bem aproveitado desde que feito com o direcionamento correto.

O estudo inédito também foi realizado nas regionais atendidas pelo Sebrae-SP. Na região de Votuporanga, cerca de 60% dos entrevistados utilizam a televisão para encontrar informações. Em seguida, a Internet, utilizada por 49% dos empreendedores.

A Rádio FM é utilizada por apenas 27% dos entrevistados, enquanto que o jornal impresso por 38%. A Revista também é utilizada por menos da metade dos empreendedores, de acordo com a pesquisa, do total, 26% utilizam esse veículo de comunicação.

Cerca de 10% encontra no Rádio AM o conteúdo diário que precisa para os negócios. A TV por assinatura é a menos utilizada pelos entrevistados. O estudo apontou, que na região, apenas 6% buscam orientações e novas informações nesse veículo.

Dados nacionais

Segundo o estudo, quando os donos de MPEs buscam informação para a gestão de seu negócio, a televisão aberta aparece como principal fonte para 27% deles. A crescente popularização e mobilidade da internet coloca o veículo ao lado do jornal, ambos com 20% da preferência. Em seguida, aparecem a revista (15%), rádio FM (6%), rádio AM (4%) e TV por assinatura (3%).

Quanto à frequência, o levantamento apontou que os empreendedores consultam os veículos todos os dias. No caso do jornal, o caderno que recebe maior atenção é o de economia, com 62% da preferência. Em segundo lugar (18%), eles leem os classificados, depois política (12%) e o noticiário internacional (10%). Aos domingos, a leitura dos jornais aumenta.

No que se refere à TV, as emissoras abertas têm mais público durante a semana e os canais pagos, no fim de semana. As rádios, tanto AM como FM, conquistam audiência maior de segunda à sexta-feira.

Entre os empreendedores leitores de revista, 32% são assinantes e 27% compram regularmente com o objetivo de se informar sobre a gestão do negócio.

Na internet, cujo acesso aumenta durante a semana, 75% navegam no Facebook, 71% no YouTube e 21% no Twitter atentos a assuntos relacionados à administração de suas empresas.

O estudo reforça a relevância das MPEs dentro da economia e deixa claro que são um mercado ainda subavaliado. Hoje, as MPEs são 99% do total de empresas existentes no País, respondem por 25% do Produto Interno Bruto (PIB) e 52% dos empregos formais do Brasil, quadro não traduzido em esforços publicitários.

“Agências e anunciantes encontram nos donos de micro e pequenas empresas um enorme campo para trabalhar. Campanhas bem feitas voltadas para esse segmento têm grande chance de adesão e é uma oportunidade que ainda não foi devidamente explorada”, afirma o gerente de Inteligência de Mercado do Sebrae-SP, Eduardo Pugnali.

Interesses pessoais

Em relação à audiência com interesses pessoais, sem relação direta com trabalho, a pesquisa constata que 58% dos entrevistados assistem à TV aberta, 46% acessam a internet, 44% optam pelo rádio FM, 35% se dedicam à leitura de jornais, porcentual que se repete com as revistas,14% optam pelo rádio AM e, por fim, 13% têm TV por assinatura.

“Mesmo quando analisamos os dados de uso pessoal, vemos que há um grande potencial a ser aproveitado, porque apesar de o empresário não buscar conteúdo para seu negócio naquele momento, não significa que a mensagem transmitida não será captada”, diz Pugnali.

Segundo ele, o empreendedor é bem específico quanto à informação. “Quando o dono de uma micro ou pequena empresa abre o jornal, por exemplo, ele quer informação que sirva para o seu negócio, não está interessado no aspecto macroeconômico”, explica o gerente do Sebrae-SP. “Faltam anunciantes e agências falarem para esse público.”

Na pesquisa, foram entrevistados 3.960 pessoas no Estado de São Paulo, sendo 3.167 com CNPJ e 793 sem CNPJ. Desse total, 45% são do comércio, 34% de serviços, 17% da indústria e 4% de agronegócios. Em relação ao perfil, 73% têm ensino médio ou mais, 54% têm entre 31 e 50 anos, 62% são homens e 63% pertencem à classe B. Esses empreendedores faturam de R$ 60 mil, caso dos Microempreendedores Individuais (MEIs), a R$ 3,6 milhões anuais.

Veja a pesquisa completa em: sebr.ae/sp/veiculosdecomunicacao

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password