Perigos oferecidos pela Péricles Belini aos condutores

Na última terça-feira, um grave acidente ceifou a vida de três pessoas na Péricles Beline.

 

As causas da colisão ainda são desconhecidas e laudos periciais deverão apontar os fatores que levou o choque de quatro automóveis. Mas quem trafega pela rodovia diariamente sabe os perigos que estão sujeitos.

 

 

Durante a semana passada, a reportagem do jornal A Cidade percorreu quase os 40 quilômetros que separa Votuporanga a Cardoso e constou que, em alguns trechos, a má conservação do asfalto, a ausência de acostamentos e a imprudência – por parte de alguns condutores – expõem motoristas ao risco de graves acidentes. 
Percurso
O ponto de partida foi o trevo de Cardoso, no km 164, trecho sinalizado com asfalto regular. Mas basta rodar três quilômetros que os problemas críticos começam a surgir.
Na altura do km 161, por exemplo, surgem as primeiras ondulações, algumas com o rompimento do asfalto. Visíveis durante o dia, mas invisíveis à noite. Perigo para motoristas, maior ainda para motociclistas.
Para evitar tais ondulações, motoristas são obrigados a ‘invadirem’ pista contraria, inclusive ônibus e caminhões.
Na altura do km 157 o asfalto é regular, mas o problema são os acostamentos, nos dois sentidos. A fina camada asfáltica se desgastou e no local existem faixas de cascalhos. Também existem trechos onde o acostamento é em desnível e em uma situação de parada rápida, pode até rasgar um dos pneus do automóvel.
Os problemas com ondulações já citados, tornam-se a se repetir nos trechos do km 143, 133 e 130, mas com um agravante. Parte da camada está ‘esfarelando’ e pedaços da massa asfáltica estão soltos. 
“A pista já foi pior, melhorou um pouco, mas tinha que melhorar muito mais. Transito aqui pelo menos duas vezes ao dia neste trecho entre Álvares e Cardoso. Depois da Vila Alves o asfalto é precário, está muito ruim. Aumenta a sensação de insegurança” diz o motorista Elson Antônio Oliveira, 47 anos.
Nos últimos quilômetros, já próximo da rodovia Euclides da Cunha, o asfalto é regular com alguns remendos, que não chegam ser prejudiciais ao trânsito.
Trânsito
Aos finais de semana, a um aumento no trafego pela Péricles, pois inúmeros carros da região buscam a cidade de Cardoso pelas inúmeras atividades oferecidas pelas cidades. Para o contador Donizar Ferreira Souza Leal, 45 anos, a implantação da terceira faixa já ajudaria na segurança.
“Além do aumento de veículos aos finais de semana, nos últimos anos houve também um aumento no do fluxo de caminhões de usinas. Já que não da para duplicar todo o trecho, então uma alternativa seria a implantação de uma terceira faixa, já ajudaria bastante, pois assim haveria pontos de ultrapassagem com mais segurança”.
Leal também reclama das condições precárias das faixas de sinalizações. “Durante o dia é ruim, a noite é péssima e quando chove você não vê nada. Fica invisível praticamente.

Ultimo acidente

Na semana passada aconteceu o grave acidente que vitimou três pessoas, duas de uma mesma família, e envolveu quatro carros.
Os veículos Chevrolet/Prisma e o Ford Escort, seguiam pela via no sentido Votuporanga – Cardoso. Já os outros veículos, o VW Gol e o Renault/Sandero vinham no sentido contrário.
Quando, na altura do km 151, por motivos ainda não esclarecidos, a condutora do Prisma, Mirtes Aparecida Pompilio, 49 anos, teria saído rapidamente da pista e ao retornar colidiu frontalmente contra o Sandero.
Com o forte impacto o Prisma rodou sobre a pista e foi atingido lateralmente pelo VW Gol. O condutor do Chevrolet Monza ainda tentou desviar dos automóveis na pista, mas não houve tempo hábil para desviar e acabou atingindo um dos veículos.
Morrem no local, a condutora do Prisma, Mirtes Aparecida Pompilio e sua filha Julia Meris Pompilio, 15 anos, e o condutor do VW/Gol, Carlos Roberto dos Santos, 57 anos. Alex Pelicer a Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password