Pedreiro é preso acusado de espancar mulher após beber

Um homem foi preso acusado de espancar a mulher em Rio Preto. A vítima, de 44 anos, que é auxiliar de serviços gerais e pediu para não ter o nome divulgado, gritou por socorro aos vizinhos. Eles precisaram imobilizar o pedreiro Damião Aparecido de Souza Rodrigues, de 46 anos, até a chegada da Polícia Militar. O crime ocorreu no início noite de domingo na rua Lions Internacional, no Jardim Estrela. Quando os policiais chegaram ao local, Rodrigues estava deitado no chão contido por quatro homens e apesentava escoriações pelo corpo, principalmente nos cotovelos de tanto se debater na tentativa de escapar da imobilização.

A mulher disse que é casada com o agressor há 29 anos e há três descobriu que ele estaria usando drogas, principalmente cocaína, e que a partir daí passou a agir com violência. “Nos separamos e há uns cinco meses que ele voltou para casa maltrapilho, cheio de carrapato, todo sujo e machucado implorando por ajuda. Chegou a pedir para que fosse internado. Eu tentei ajudar, mas depois que o deixei ficar, ele não quis mais saber de nada, desistiu de ser internado. Estendi a mão e por pouco ele não me matou.”

Ela precisou de atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Centro. A vítima disse que essa foi a primeira agressão física. “Ele chegou alcoolizado, drogado e disse que eu tinha traído ele. Antes me agredia verbalmente, mas agora chegou ao extremo. Bateu com a minha cabeça na parede, me jogou contra o muro e contra o portão, me chutou e deu socos.” As agressões só cessaram com a intervenção dos vizinhos. “Meu muro é alto, mas consegui jogar a chave do portão para que meus vizinhos me socorressem.”

Mesmo depois da chegada da PM, Rodrigues continuou ameaçando a mulher, dizendo que iria mata-lá. “Agora ele está preso, mas tenho medo de que saia da cadeia e queira se vingar. Conversei com a polícia e eles me aconselharam a mudar de casa para que ele não me encontre”, disse a vítima. Levado para a delegacia, o pedreiro foi preso em flagrantes pelos crimes de lesão corporal e ameaça depois de não conseguir pagar a fiança de R$ 1 mil estipulada pelo delegado Hélio Fernandes dos Reis, na Central de Flagrantes, de onde foi encaminhado ontem pela manhã para o Centro de Detenção Provisória (CDP).

Violência que só aumenta

Os casos de violência doméstica aumentam ano a ano na cidade. De 2008 até junho deste ano, foram registrados 3.888 atendimentos a mulheres agredidas, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. Só neste ano – até novembro – , o Centro de Referência e Atendimento a Mulher (CRAM) atendeu 499 vítimas, 33 delas por agressores reincidentes.

Tatiana Pires

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password