Pai que matou os filhos pode ter dado sonífero para as crianças, diz polícia

Crianças tinham 3 e 4 anos e foram mortas com golpes de faca. Zootecnista está sob escolta e responderá por homicídio duplo qualificado.

O zootecnista Hugo Imaizumi, que matou os dois filhos de 3 e 4 anos a facadas e tentou cometer o suicídio, pode ter dado sonífero aos filhos antes de cometer o crime. Segundo a titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Dálice Aparecida Ceron, ele enviou uma mensagem de texto para a mulher em que faz alusão ao fato de ter dado sonífero para os filhos. O crime foi na madrugada de domingo (25), em um bairro de classe média de São José do Rio Preto (SP), e chocou a cidade.

“O celular dele está no Instituto de Criminalística para perícia. São poucos dizeres, mas na mensagem ele diz ter dado sonífero para elas. Aguardo o resultado dos laudos para saber se há mais algum conteúdo relacionado ao crime e dar prosseguimento ao inquérito”, disse a delegada em entrevista ao G1 nesta terça-feira (27).

Dálice diz que o andamento do inquérito dependerá do quadro clínico de Imaizumi, que está internado sob escolta policial na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Base (HB), em estado estável. “Precisamos ver qual será a evolução do estado de saúde dele, porque apesar de estável o quadro clínico é crítico. Conforme for, assim que receber alta ele será ouvido”, diz.

Dálice acredita que o zootecnista quis castigar a mulher por uma suposta traição. “Na minha opinião, essa é a maior violência que pode ser praticada contra uma mulher. É impossível a gente não ser afetada por uma atitude treslocada dessas, porque crimes que envolvem crianças já são, de uma forma geral, terríveis e cometido pelo próprio pai é ainda mais chocante”, diz a delegada.

O prazo para a conclusão do inquérito é de 10 dias, mas pode ser prorrogado. De acordo com o delegado José Luiz Chain, que atendeu à ocorrência, Imaizumi foi preso em flagrante e está sob escolta policial no HB. Assim que receber alta, será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP), onde responderá por homicídio duplo qualificado por motivo fútil, já que as crianças não puderam se defender. A pena é de 12 a 30 anos de reclusão.

Em depoimento, a mãe das crianças, uma fisioterapeuta de 39 anos, disse que o casamento dela com Imaizumi já estava praticamente acabado por conflitos e incompatibilidade. Chain também acredita que a intenção do zootecnista foi punir a mulher. “É claro que ele queria puni-la tirando a vida dos dois filhos e tentando tirar a própria vida, sem sucesso.” As crianças foram veladas e enterrados no final da tarde de domingo, 25, no cemitério Jardim da Paz.

Hugo Imaizumi tem 41 anos e é doutor em Ciência Animal pela Universidade de São Paulo (USP). Ele deixou uma carta escrita à mão para explicar o que o motivou a cometer o crime. A carta foi encontrada pela polícia no quarto em que ele estava com as crianças.

Segundo a polícia, a fisioterapeuta acordou no meio da noite, foi até o quarto dos filhos e percebeu que estava trancado. A polícia informa que ela foi até a janela do quarto e viu as duas crianças e o marido deitados na cama e feridos no pescoço. Depois de pedir socorro para os vizinhos, a fisioterapeuta correu para a Unidade de Pronto Atentimento (UPA), que fica a três quarteirões da casa dela.

Entenda o caso
De acordo com informações do boletim de ocorrência, por volta das 2h, a mãe das crianças foi até a Unidade de Pronto Atentimento (UPA) do Jardim Tanguará e, desesperada, avisou a um dos guardas municipais que seu marido havia matado os dois filhos a facadas.

Os guardas foram até a casa com a mulher, onde encontraram o homem deitado na cama com as duas crianças. Conforme o registro policial, eles tentaram reanimar as crianças até a chegada do resgate, mas não conseguiram. Os dois irmãos foram mortos pelo pai com facadas na jugular, segundo a polícia.

Ele teria tentado cometer o suicídio em seguida e foi encontrado com várias perfurações no peito e ainda com a faca cravada no pescoço. Apesar de gravemente ferido, ele foi socorrido com vida ao Hospital de Base de Rio Preto, onde está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). As crianças foram enterradas no domingo (25) à tarde, no cemitério Jardim da Paz, em Rio Preto. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password