Pai entrega filha a traficante para pagar dívida com droga

O auxiliar de serviços gerais G.P.M., 22 anos, foi preso anteontem, em Tanabi, acusado de ter entregado a própria filha, de 5 anos, a um adolescente traficante, de 14 anos, como forma de pagamento de uma dívida de drogas no valor de cerca de R$ 30. A criança foi abusada sexualmente pelo adolescente, na sexta-feira, em uma casa vizinha de onde ela mora. Viciado em crack, o pai da menina teria permanecido próximo do local “vigiando” para que ninguém se aproximasse.

A mãe da criança, P.S.A., 25 anos, contou em meio a lágrimas que a filha brincava no quintal enquanto ela limpava a casa e em determinado momento não ouviu mais a voz da menina. A mãe passou a procurá-la na rua e a encontrou no imóvel vizinho. A criança foi encontrada deitada de bruços e sem roupas. “Ouvi um choro e reconheci a voz dela”, disse a mãe, que está grávida de quatro meses de outro filho de Gleidson.

De acordo com os vizinhos, o adolescente acusado de ser o autor do abuso e o irmão dele, de 16 anos, mantêm um ponto de venda de drogas em frente de onde moram. Aos 14 anos, ele não estuda e seria viciado em maconha e cocaína. O irmão mais velho já foi internado na Fundação Casa e cumpriu medida socioeducativa por mais de um ano por tráfico.

De acordo com o promotor criminal José Heitor dos Santos, de Rio Preto, além do abuso, o rapaz usou de bastante violência contra a menina. “A menina se debatia, esperneava, chorava, gritava, tentou resistir. Ele a pegou pelo pescoço e tentou esganá-la, depois jogou-a longe”, disse o promotor.

A criança apresentava marcas de estrangulamento e sangramento pela boca. A mãe ainda viu o adolescente sair de perto da filha dela erguendo as calças. “O que mais me dói é ter visto minha filha naquela situação, e ele ainda riu na minha cara”. A garota foi levada para a Santa Casa de Tanabi e depois conduzida ao PS Central de Rio Preto, atendida e liberada.

Revolta

A violência sexual revoltou os moradores de Tanabi. Uma multidão tentou invadir a casa do agressor para linchá-lo. A polícia militar foi chamada para conter a população e levou o menor à delegacia. O promotor José Heitor ouviu o adolescente e informou que ele confessou o abuso sexual, mas negou que o estupro tenha sido consumado. “O exame de corpo de delito irá confirmar ou não o estupro”. O promotor diz que o adolescente responderá por estupro de vulnerável e pediu a internação provisória dele. Ainda determinou a prisão temporária do pai da criança e a instauração do inquérito policial.

O delegado José Francisco de Mattos Neto, que atendeu a ocorrência, conta que o menor declarou aos policiais militares que o detiveram ter tido “um branco” e que por isso “não se lembrava de nada”. O delegado titular de Tanabi, José Luiz Barbosa Junior, confirmou que a prisão do pai da criança, também por estupro, foi feita depois de seu depoimento à Promotoria Pública de Rio Preto. “O adolescente foi ouvido pelo promotor e forneceu mais detalhes, o que nos deu subsídios para que pudéssemos solicitar a prisão temporária dele (o pai).”

Fuga e nova detenção

O adolescente, que foi transferido para a carceragem da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto para depois ser encaminhado à Fundação Casa, fugiu da carceragem às 16h de domingo, mas foi encontrado na estrada que liga Rio Preto a Ipiguá por volta da meia-noite de ontem. Ele foi levado novamente à DIG.

O Conselho Tutelar fez ontem um encaminhamento da criança e da mãe para ser atendida pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). “O atendimento psicológico e social ajudará essa família a superar o trauma”, afirmou o conselheiro tutelar Odair Socorro do Nascimento.

Tatiana Pires – diarioweb

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password