O casamento dos sonhos

Após passar por 14 cirurgias, Dayanna supera a dor do câncer e experimenta a alegria de se unir em matrimônio com Diego, Renovada, se sente com força para viver intensamente sua história de amor

Às 11h20 de ontem, na porta da capela de Nossa Senhora Aparecida, em uma fazenda de Rio Preto, o som da marcha nupcial significou muito mais do que a senha para a noiva entrar na igreja. A tradicional música de casamentos representou a realização do sonho de Dayanna Sofia Pessoa, 25 anos, e a conquista de mais uma vitória na batalha diária que trava contra o câncer. Representou a vida.

Entre as diversas sessões de quimioterapia e 14 cirurgias – sendo cinco de alta complexidade – pelas quais passou, Dayanna encontrou forças para viver um grande amor. Era o apoio que precisava para enfrentar os desafios da doença. E desde ontem pode chamar Diego Alves de Souza, 28, de marido. “A sensação é maravilhosa. Ultrapassou minhas expectativas. Foi muito mais do que sonhamos,” disse já com a aliança no dedo da mão esquerda.

O casal se conhece desde 2010, mas começou o namoro há dois anos. Já moram juntos, mas o casamento na igreja era um sonho de Dayanna. Resolveram que não dava mais para esperar e realizaram a cerimônia com a ajuda de amigos e familiares. “Estamos concluindo um processo. Sinto estar cumprindo meu dever como homem e realizando o sonho dela e também o meu,” disse Diego.

Dayanna nasceu no Maranhão. Veio para Rio Preto em 2006 para realizar tratamento médico, depois da retirada de um primeiro tumor. A mãe e os quatro irmãos também vieram com ela. Ainda segue em tratamento, dessa vez para combater três tumores que estão espalhados pelo corpo.

A mãe dela, Anne Rose Pessoa, 43 anos, ficou emocionada ao ver a filha subir ao altar. É a primeira dos cinco filhos a casar. “Sou a mãe mais feliz do mundo.” A irmã gêmea de Dayanna, que se chama Dayanne, também estava exultante. Diego é filho único. E os pais dele, Wilson e Sílvia, estavam orgulhosos com o casamento do filho, que venceu a timidez e fez o pedido a Dayanna ajoelhado no meio de um shopping.

Docinhos, bebidas, maquiagem, vestido e sapatos foram frutos de doações ou empréstimos. As alianças vieram do Hospital do Câncer de Barretos. “São muitas as pessoas que precisamos agradecer,” disse Dayanna. Agora, casados, os dois desejam aproveitar ao máximo cada momento juntos.

‘Casei’, grita o noivo

A cerimônia emocionou a todos os presentes. Seguiu a risca os procedimentos de todo casamento: o casal se arrumou em casas diferentes para ninguém não se ver antes de entrar na igreja, a noiva atrasou alguns minutos, a capela estava toda decorada – inclusive com tapete vermelho – e Dayanna, como ela sonhava, entrou com um belo vestido de noiva.

Na igreja, muitos convidados não seguraram as lágrimas durante os 20 minutos de celebração. Entre eles, Janaína Matias Espinete, 25, amiga de Dayanna. “Acompanhei a história dela, desde que chegou a Rio Preto. Fico muito feliz e emocionada em vê-la realizando o sonho.”

O casamento aconteceu na fazenda em que Diego trabalha e o casal mora. Na pequena capela, com menos de 30 metros quadrados e 140 anos de história, os convidados se espremiam para observar a benção do representante espírita que comandou a celebração. Muitos ficaram do lado de fora. “Casei,” gritou Diego na porta da capela pouco antes de receber uma chuva de arroz.

A partir daí, a tensão pelo momento tão importante foi deixada de lado. E os noivos distribuíram sorrisos durante os muitos cumprimentos. Após a cerimônia, familiares e amigos se divertiram em um almoço na fazenda. Ninguém estava mais feliz do que os noivos.
“O que a gente sente está no olhar. É difícil até para encontrar palavras que digam o que sentimos,” resume Diego.  DiárioWeb

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password