Número de incêndios diários quase triplica na região

A média de queimadas por dia no mês de setembro quase triplicou na região de Rio Preto em comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo levantamento do Corpo de Bombeiros, em média, 38,5 ocorrências de incêndios em vegetações, terrenos baldios e pontos de apoio foram registradas até a última quarta-feira (16) na área de cobertura do 13º grupamento, que atende 97 cidades da região. A média diária de ocorrências no mesmo mês do ano passado foi de 14,1 registros.

Na noite de ontem (16), um incêndio às margens da rodovia Euclides da Cunha, em Tanabi, mobilizou dois caminhões do Corpo de Bombeiros e caminhões pipa da prefeitura, de uma usina da região e de uma propriedade particular. Ainda foi necessário o uso de dois tratores na ocorrência. De acordo com a corporação, o fogo foi controlado após pouco mais de duas horas de trabalho. Ao todo, 50 hectares foram destruídos.

Ainda ontem, um princípio de incêndio deixou funcionários do aeroporto Erilbelto Manoel Reino, em Rio Preto, apavorados. Na ocasião, o fogo que se espalhou pela pastagem próxima da pista de pouso e decolagem foi controlado pela brigada de incêndio.

Operação Corta Fogo

Para garantir a segurança no período te estiagem, o Corpo de Bombeiros inicia a Operação Corta Fogo. A ação tem o objetivo de garantir a integridade dos campos e florestas do Estado de São Paulo por meio de ações de prevenção, monitoramento e combate ao fogo não autorizado ou fora de controle. A Operação integra ações conjuntas da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar Ambiental, da Defesa Civil, da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e das brigadas civis de combate a incêndios.

Na semana passada, um dos maiores incêndios dos últimos tempos registrados na região destruiu 500 hectares (equivalente a 500 campos de futebol) da região da Floresta Estadual do Noroeste Paulista, localizada na área do antigo Instituto Penal Agrícola (IPA), em Rio Preto. As chamas iniciaram na tarde da quarta-feira (09) e resistiram até a noite de sábado (12), com diferentes intensidades.

Toda a destruição da área resultou em um prejuízo de, no mínimo, R$ 1,3 milhão à Prefeitura. De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente, as perdas estimadas com reflorestamento foram de 70%. Ao todo, foram aplicados R$ 1,8 milhão em reflorestamento no local. No total foram perdidas 17 mil mudas em duas áreas de reflorestamento – uma delas na Floresta Estadual e a outra em área do município às margens da avenida Abelardo Menezes.

O Ministério Público investiga o caso.

Como prevenir

O Corpo de Bombeiros orienta a população a estar atenta aos cuidados para prevenir e evitar incêndios em pastagens. Entre as principais dicas, está não arremessar pontas de cigarros acessos ou fósforos na vegetação.

Não soltar balões;

Evitar a queima de mato em pastagens e terrenos baldios;

Evitar a queima de mato próximo a linhas de transmissão de energia e estradas de ferro;

Não acender fogueiras, principalmente na beira de rios;

Construir aceiros de forma adequado e com margem de segurança;

Ao atravessar trilhas, não arremessar pontas de cigarros;

Evitar manifestações religiosas ou culturais com a utilização de velas em vegetação seca e rasteira.

Consequências ao Meio Ambiente

Poluição do ar atmosférico, através das fuligens;

Destruição de ninhos, filhotes e ovos de animais silvestres;

Desagregação da cadeia alimentar de pequenos mamíferos, répteis e aves;

Empobrecimento do solo;

Afetar a segurança do trânsito nas estradas e rodovias, prejudicando a visibilidade dos motoristas, podendo gerar acidentes;

Acarretar problemas de saúde, causando transtornos respiratórios, dermatológicos e oftalmológicos, afetando principalmente pessoas idosas e crianças.

DLNEWS:

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password