Na constante busca por humanização, Santa Casa agora conta com doula voluntária

 

Acompanhamento oferece suporte às mães no momento do nascimento

O comitê de perinatologia da Santa Casa de Votuporanga está auxiliando e estimulando a implantação de um projeto de apoio à gestação e ao parto humanizado no Hospital. A doula e educadora perinatal Fabiana Higa, que coordena o Bem-Estar (espaço de cuidado para as gestantes) programa realizado pela Secretaria Municipal da Saúde nas unidades básicas do município, apresentou o projeto ao comitê e, com a aprovação, iniciou um trabalho voluntário na maternidade SUS do Hospital, oferecendo suporte físico e emocional às mães durante o parto.

A atividade das doulas, que são descritas como “amigas da mãe no momento do parto”, é regulamentada no Brasil pelo Ministério do Trabalho e segue recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com a apresentação do projeto, a atuação da doula incentiva e orienta o parto humanizado, reduzindo a necessidade de utilização de anestesia em 17% e a realização de cesáreas em 28%. Na Santa Casa, o trabalho tem acontecido gradualmente, contando com a ajuda das equipes de enfermagem e do corpo clínico.

O primeiro parto acompanhado pela doula Fabiana no Hospital já aconteceu. “Quando cheguei à maternidade e me apresentei à mãe, ela aceitou o apoio e nós passamos a fazer alguns exercícios, ainda no pré-parto. Acompanhei todo o trabalho, inclusive o ‘parto de cócoras’, realizado no Centro Cirúrgico pela ginecologista”, descreve Fabiana Higa.

“Até mesmo os partos normais são realizados em posição ginecológica”, explica a médica Michele Jorge Fazolino. “Por isso, para mim, foi uma experiência nova e muito interessante, já que utilizamos a banqueta de parto e a mãe ficou de cócoras, de forma que o parto acontecesse o mais naturalmente possível”, completa a ginecologista. Natália Modesto foi a primeira mãe que contou com a doula durante todo o trabalho de parto, “durante toda a gestação eu quis e pensava em fazer o parto normal, e o apoio da Fabiana foi fundamental para me ajudar a conseguir realizar esse desejo”, fala.

A doula já vem orientando e trabalhando tanto com as mães quanto com as equipes, que vêm se adaptando ainda mais ao parto natural. “Nós, pediatras, incentivamos o parto normal por entendermos que é o melhor para a mãe e para o bebê. Acredito que o trabalho da doula é um suporte importante para as gestantes no momento de dar à luz e oferece um apoio para aquelas que desejam ter o parto normal”, destaca o médico Antônio Seba Júnior, que é presidente do comitê de perinatologia da Santa Casa de Votuporanga.

A rotina dos partos realizados no Hospital continua a mesma, todos os procedimentos são acompanhados pelos especialistas em salas cirúrgicas completamente estruturadas, porém, agora a Santa Casa conta com mais uma iniciativa de humanização, visto que o parto natural é sempre indicado e incentivado. “Como educadora perinatal desenvolvo a orientação e a conscientização da importância do parto humanizado e como doula transmito à mãe uma ajuda para ela dar conta de realizar todo o processo naturalmente, com diferentes técnicas, exercícios e estímulos não farmacológicos”, comenta Fabiana.

O primeiro parto em que a doula atuou efetivamente aconteceu às 15h08 do dia 10 de dezembro. O nascimento do João Vítor, que nasceu pesando 3,180 kg e medindo 48 cm, foi acompanhado pelas duas avós e pelo pai, além de toda a equipe envolvida no procedimento.

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password