Município distribui sete milhões de antidepressivos

Número inclui ainda os comprimidos ansiolíticos; gasto com os medicamentos foi de R$679.959,92 de janeiro de 2013 a junho de 2015

A Secretaria Municipal de Saúde de Votuporanga distribui cinco tipos de antidepressivos e outros cinco ansiolíticos gratuitamente para a população que recebe prescrição médica. Ao todo, em dois anos e meio, foram entregues 4.498.073 comprimidos antidepressivos e 2.640.490 ansiolíticos. O investimento total nestes medicamentos no período foi de R$679.959,92.

Para Reinaldo Antônio de Carvalho, coordenador da rede de saúde mental de Votuporanga, o número de pessoas que tomam estes tipos de medicamentos na cidade é considerado alto.

Além disso, o Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) oferece em média 15 consultas psiquiátricas ao mês; mais 170 no Caps II; e outras 450 no Ambulatório de Saúde Mental. São em média 635 consultas psiquiátricas ao mês.

Depressão é doença séria e é imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado. A medicação deve ser usada apenas depois de prescrita pelo médico.

Há evidências de que a atividade física associada aos tratamentos farmacológicos e psicoterápicos representa um recurso importante para reverter o quadro de depressão.

“O problema é que muitas pessoas chegam no consultório médico já com o diagnóstico pronto. Ele procura informações na internet e vai até o médico apenas em busca do remédio. É com essa situação que é necessário ter cuidado”, disse Reinaldo.

Sérgio Junior tomou ansiolíticos por um ano, além de remédios para bipolaridade e depressão. Hoje, ele tenta se livrar os medicamentos. Sérgio tomava dois remédios diferentes, eram três comprimidos ao dia. “Comecei a ter alguns efeitos colaterais, como a perda de memória. Além disso, estava me tornando dependente dos comprimidos. Hoje, faço exercícios de respiração e meditação, tudo para tentar melhorar a qualidade de vida”, disse.

A senhora M.S., toma antidepressivos há 10 anos. “Tive problemas de saúde que me deixaram depressiva. Tudo o que eu queria era me livrar dos remédios, mas não posso ficar sem eles”. A cada quatro meses, ela vai ao médico para pegar a receita. M.S toma 18 comprimidos por dia, sendo sete deles antidepressivos.

O que são antidepressivos?

Os antidepressivos foram desenvolvidos para bloquear vários aspectos do processo de transmissão sináptica nos neurônios que contêm serotonina, norepinefrina e dopamina no cérebro e, por isso, aumentam os níveis desses neuro­-transmissores. Com o aumento dos níveis dos neurotransmissores, o humor e as emoções devem se estabilizar e, talvez, voltar ao normal.

O que são ansiolíticos?

São medicamentos que têm a propriedade de atuar sobre a ansiedade e tensão. Estas drogas foram chamadas de tranqüilizantes, por acalmarem a pessoa estressada, tensa e ansiosa. Atualmente, prefere­-se designar esses tipos de medicamentos pelo nome de ansiolíticos, ou seja, que “destroem” (lise) a ansiedade. Também são utilizadas no tratamento de insônia e nesse caso também recebem o nome de drogas hipnóticas, isto é, que induzem sono. Leidiane Sabino/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password