Movinter vai continuar na região em 2014

Encerrada a 9ª edição da Feira de Móveis do Estado de São Paulo (Movinter), realizada até ontem em Mirassol, os organizadores já começam a planejar a próxima.

Segundo o presidente da feira, Marcos Bechara, as conversações sobre o próximo evento, em 2014, começam no mês que vem. “A feira está mais que consolidada na região, tem projeção. Por isso, não pode sair daqui”, disse.

Em 2010, chegou a ser anunciada a transferência da Movinter para São Paulo, mas depois a decisão foi revogada. A permanência da feira na região é considerada positiva por empresários participantes. “A feira é importante porque ocorre onde fica nossa sede”, afirmou José Roberto Hackme Alvarez, diretor executivo da Americanflex. “Aproveitamos para convidar os clientes para visitar a fábrica de conhecer os processos”, disse.

Ele contou ter recebido, durante o evento, visitas de pessoas de diferentes Estados. Embora o momento econômico não seja dos melhores, disse, a Movinter surpreendeu. “A feira gera negócios, inclusive futuros”. Ele não revelou os valores movimentados porque o balanço não foi fechado.

O gerente de exportações da Móveis Bechara, Igor Arruda, diz que a surpresa neste ano foram as visitações de importadores que não estavam listados para participar da rodada de negócios. “Temos boas perspectivas de fechar negócios de exportação com novos clientes”, disse. Além disso, ele destacou que a Movinter é uma oportunidade para testar alguns produtos. “Tivemos uma boa aceitação do novo padrão de pintura, que dá um acabamento texturizado”, disse.

Expectativa

Embora o balanço parcial não tenha sido divulgado, a projeção dos organizadores era de que os R$ 200 milhões previstos em negócios tenham sido alcançados. A Feira é realizada pelo Sindicato da Indústria do Mobiliário de Mirassol (Simm) e promovida pela Reed Multiplus.

Para Bechara, certamente os objetivos traçados foram atingidos, como uma visitação entre 30 mil e 35 mil pessoas e projeção de negócios de R$ 200 milhões. “A feira foi um sucesso. Recebemos visitantes de todos os Estados e de fora do país também, inclusive fora da rodada de negócios”, disse.

O presidente do Simm, Pedro Benvindo, também acredita que os R$ 200 milhões em negócios serão atingidos. “É importante lembrar que muitos contratos ocorrem no pós-feira”, disse. Segundo ele, a quantidade de lançamentos de produtos é uma das responsáveis pelos negócios, além da prorrogação da isenção do Imposto sobre a Produção Industrial (IPI), que deu fôlego à indústria.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password