Motel da região é interditado por favorecer a prostituição

O Tribunal de Justiça de São Paulo manteve sentença de primeira instância e determinou que o motel Studio X, em Mirassol, seja lacrado por 15 dias e a proprietária Elaine dos Santos pague multa de dez salários mínimos. O estabelecimento é acusado de não fiscalizar a entrada de menores.

A condenação foi pedida pelo Vara da Infância e Juventude de Mirassol ano passado, depois que a mãe de uma garota de 14 anos denunciou que a filha esteve no motel com uma amiga e dois rapazes. A sentença em primeira instância é assinada pelo juiz Ronaldo Guaranha e saiu em novembro passado, mas o motel recorreu ao TJ.

Segundo o promotor responsável pelo caso, Rodolfo Strazzi Pereira, a lacração deve ser feita nos próximos dias por oficiais de Justiça. Depois o estabelecimento pode ser reaberto e operar normalmente. Ainda segundo o MP, esta foi a segunda vez que o motel foi processado por infração administrativa por não fiscalizar entrada de menores. Na primeira, há três anos, acabou sendo apenas multado.

A decisão do TJ é assinada pela desembargadora Claudia Grieco, que negou procedimento ao recurso do motel. A reportagem tentou por várias vezes contato com a proprietária do motel e advogado José Luis Cabral de Melo, que consta no processo, sem sucesso.  (Diarioweb)

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password