Moradora diz que empregada escorregou e caiu de prédio

A Polícia Civil de São José do Rio Preto (SP) aguarda o laudo da perícia para começar as investigações sobre a morte da faxineira que caiu de um prédio de luxo no bairro Boa Vista no fim da manhã desta quinta-feira (12).
A moradora que contratava os serviços da empregada doméstica há três anos, disse em depoimento à Polícia Militar que a vítima estava usando uma escada enquanto limpava janelas no interior da casa. A dona da residência viu a queda e correu para pedir ajuda, mas a empregada já havia caído.
A mulher, de 34 anos, despencou do 15º andar do prédio em cima do telhado de zinco do salão de festas do prédio e não resistiu aos ferimentos. “Preliminarmente, o que pode ser obsevado, é que a vítima teve uma perfuração grave causada pela queda no telhado e uma fratura exposta na perna. Mas ela ainda respirava quando foi encontrada”, afirma o tenente do Corpo de Bombeiros, Cássio da Luz.

A vítima permaneceu viva por cerca de 20 minutos, mas morreu a caminho do hospital. Segundo a polícia, ela teria escorregado e caiu no parapeito. A altura da queda foi de cerca de 45 metros. Para quem passava pelo local, o acidente foi um grande susto. “Eu ouvi um barulho que parecia um acidente de carro. Logo as viaturas já chegaram e soube o que havia acontecido”, diz a dona de casa Shirley Aparecida Ramos, que é vizinha do prédio.

A Polícia Científica fez uma perícia no local, que deve explicar as causas do acidente. O laudo ficará pronto em até 30 dias. O delegado responsável pelo caso pediu mais exames ao Instituto Médico Legal. Por isso, o corpo ainda não foi liberado para a família.(G1)

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password