Metade das cidades da região não registra morte por COVID há 7 dias

De 14 a 21 de julho, metade das cidades da região não registrou morte pela Covid. Fato mostra avanço da vacinação, mas cuidados de prevenção devem ser mantidos

Sessenta cidades da região de Rio Preto não registram mortes por Covid-19 há pelo menos uma semana. É o que aponta levantamento feito pelo governo do Estado de São Paulo com base em dados dos dias 14 a 21 de julho e que foram registrados pelos próprios municípios no Sivep, sistema oficial do Ministério da Saúde. Dentre outros fatores, a vacinação é a maior responsável por esse dado positivo, mas ainda não é possível deixar de lado os cuidados. Apesar do progresso, a campanha avança a passos lentos, o que permite que o vírus ainda circule, por isso é importante sempre usar máscara, manter o distanciamento social, evitar aglomerações e fazer a higiene das mãos.

Uma dessas cidades é Bálsamo. De acordo com o diretor de Saúde, Manuel Silva, o último óbito registrado foi em 1º de julho. Há 56% da população vacinada com a primeira dose do imunizante contra o coronavírus e o esquema foi concluído em 22% dos moradores, com a segunda dose de Coronavac ou AstraZeneca.

Ele cita vários fatores para explicar a desaceleração da mortalidade pela Covid na cidade: o trabalho feito em parceria com a Funfarme (que administra o Hospital de Base) e o Departamento Regional de Saúde (DRS) e as medidas mais restritivas, tomadas na mesma época do lockdown noturno de Rio Preto. “Vacinação, apesar de estarmos recebendo poucas doses. Adotamos as pulseirinhas: vermelha para Covid positivo, verde para quem está aguardando resultado e amarela para contactante, se alguém da família teve e está sendo monitorado”, explica. “Estamos fazendo monitoramento e testagem em massa de antígeno em todos os pacientes com síndromes gripais. A cidade resolveu colaborar mais. Não tem ninguém internado em estado grave, e no postinho, que tem 18 leitos, não tem paciente”, afirma o diretor.

Outro exemplo é Buritama, onde o último óbito contabilizado é do dia 10 de julho – nas semanas anteriores, houve pelo menos uma morte a cada sete dias. Ainda há, no entanto, quatro pacientes internados e alguns deles em estado grave. “Nos preocupam esses pacientes. Ainda é cedo para comemoramos, mas eu atribuo a queda da mortalidade à vacina. Amanhã vamos vacinar quem tem 27 anos”, diz o secretário de Saúde, Edilson Carlos de Paiva. “Ainda é cedo para falar de fim da pandemia. Ontem (terça) nós chegamos a 50% da população com primeira dose”, diz o secretário.

Denise Bessa, secretária de Saúde de Estrela d’Oeste, também atribui a diminuição da quantidade de mortes à vacinação. “O nosso último óbito foi em 10 de julho. Estamos com dois moradores internados, mas estão bem. Mas infelizmente a transmissão ainda está alta”, considera. Por lá, estão chegando as segundas doses para quem tem entre 43 e 49 anos e quem tem acima de 30 já pode procurar o postinho.

A secretária de Saúde de Santa Adélia, Tânia Mara Canossa, diz que o último óbito registrado por Covid na cidade foi em 26 de junho. Hoje há 50% da população vacinada com a primeira dose. “Atribuo essa melhora no cenário ao avanço nas campanhas de vacinação e às medidas mais restritivas.” Na cidade, estão sendo vacinadas as pessoas a partir de 29 anos.

“A vacinação, além de diminuir as internações, também está reduzindo o número de mortes em São Paulo. Quase metade das cidades do nosso estado, 288 municípios, não registraram nenhum óbito na última semana, o que também é fruto da vacinação avançada no Estado de São Paulo”, afirmou o vice-governador, Rodrigo Garcia.

Carolina Pacca, doutora em virologia, professora e pesquisadora da Faceres, também cita a vacinação. “Está progredindo. E os lockdowns que foram feitos agora estão refletindo”, diz a especialista. O vírus ainda circula, pois uma minoria das pessoas tem o esquema vacinal completo. Nas 102 cidades do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto, a ocupação dos leitos de UTI está em 71,1%.

Rio Preto

Em Rio Preto, foi confirmada mais uma morte nesta quinta-feira, 21, totalizando 2.619 óbitos desde o início da pandemia. Também foram registrados mais 250 casos.

LEITOS

Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto até 13/7/2021 (inclui 102 cidades)

Ocupação de leitos na DRS

Enfermaria: 43,4%

UTI: 76,7%

85 novas internações em 13/7

Ocupação de leitos no Estado

Enfermaria: 44,5%

UTI: 65,6%

Internações de pacientes de Rio Preto em 13/7 com SRAG

380 pacientes

Enfermaria: 187

UTI: 193

Hospitais de Rio Preto

Hospital de Base (inclui pacientes da região)

Enfermaria (173 vagas): 95 pacientes (54,9% de ocupação)

UTI (183 vagas): 149 pacientes (81,4% da ocupação)

Hospital da Criança

Enfermaria (30 vagas): 5 pacientes

UTI (14 vagas): 3 pacientes

Santa Casa

Enfermaria (59 vagas): 54 pacientes (92%)

UTI (52 vagas): 50 pacientes (96%)

Hospital João Paulo II

UTI (8 vagas): 8 pacientes

UPA Jaguaré

UTI (30 vagas): 21 pacientes

Enfermaria (15 vagas): 6 pacientes

UBS Luz da Esperança

Enfermaria (27 vagas): 11 pacientes

Unidade de Suporte Ventilatório Fraternidade

UTI (30 leitos): 18 pacientes

UPA Santo Antônio

UTI (29 leitos): 3 pacientes

UBS Anchieta

Enfermaria (26 leitos): 7 pacientes

FONTE: Millena Grigoleti – diarioweb.com.br 

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password