Merendeira é ameaçada de morte por motorista da merenda escolar

FERNANDÓPOLIS – Um motorista da Prefeitura de Fernandópolis, ouvido no último dia 22 de junho, pela comissão da CPI do Merendão, ameaçou uma merendeira após ser questionado durante depoimento. O servidor público municipal teve momento de fúria após ser indagado sobre um possível descarte de merenda escolar em Fernandópolis. A comissão, diante da informação de uma depoente, perguntou se ele havia ajudado a enterrar ou teria descartado algum produto da merenda que havia estragado.

O motorista negou qualquer participação no caso e disse que somente seria responsável pela entrega das mercadorias nas escolas municipais e estaduais. O caso chamou a atenção dos vereadores, já que o nome e o local de trabalho da merendeira denunciante não haviam sido revelados ao motorista.

Renato, funcionário público há mais de 20 anos, procurou uma das merendeiras e chegou a ameaçá-la sobre a denúncia feita por ela na CPI formada para investigar possível superfaturamento na merenda escola de Fernandópolis. A merendeira afirmou que Renato exigiu que ela mudasse o depoimento.

Márcia Maria Mendes protocolou no último dia 6, uma representação contra Renato Alessandro de Oliveira, relatando que foi ameaçada de morte, afirmando: “você poderá amanhecer com a boca cheia de formigas a qualquer hora, porque está mexendo com gente grande”.

Gustavo Pinato também revogou nesta quarta-feira, dia 8, o caráter reservado dos depoimentos na CPI do Merendão já que a comissão atingiu objetivo nas investigações, com conteúdo além do esperado, que poderá apontar outras possíveis fraudes além do indício de superfaturamento de preço na compra dos produtos da merenda escolar. Região Noroeste

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password