Merenda escolar: Prefeitura busca ampliar parceria com cooperativas

Encontro entre Secretarias pretende expandir participação de cooperativas no abastecimento de gêneros hortifrutigranjeiros

A Prefeitura de Votuporanga busca ampliar a participação das cooperativas de agricultura familiar no fornecimento de alimentos ao Programa de Alimentação Escolar (PNAE). O Comusan (Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional) fez uma reunião – a pedido do presidente do órgão, Paulo Guerche – nesta segunda-feira (8/6) na Secretaria de Assistência Social, envolvendo pastas municipais para debater o assunto. Uma audiência será agendada com o prefeito Junior Marão para discutir o fomento.

Participaram do encontro a secretária do Comusan, Meire Regina Azevedo; presidente do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), Fabiana Lopes de Almeida; representante da Secretaria da Educação – Setor de Alimentação Escolar, Gilberto Camargo; representante do Banco de Alimentos, Osvaldo Luiz Spegiorin Munhoz; presidente da Codafavo (Cooperativa da Agricultura Familiar), Américo Lopes Neto; secretário de Desenvolvimento Econômico, Diogo Mendes Vicentini; Lucas Fernando Loarossi, representante da Codafavo; Taísa Del Pino, da Coapinsp (Cooperativa Agropecuária dos Apicultores da Região Noroeste de São Paulo) e Denise Del Mouro Fernandes Escorsi, representante do setor de Projetos da Secretaria Municipal de Assistência Social.

De acordo com Gilberto Camargo, a participação das cooperativas é muito pequena. “Por força de legislação federal que prevê que o município invista em compra de produtos oriundos da agricultura familiar, precisamos ampliar esta participação”, disse.

Diogo Vicentini explanou sobre as ações que o município executa a fim de promover a agricultura familiar em Votuporanga.

Os representantes das cooperativas falaram sobre o aprimoramento de suas atividades com o intuito de atenderem a demanda municipal por aquisição de alimentos. Neto, da Codafavo, informou sobre toda a reestruturação que a cooperativa está passando para atender o que preconiza o Programa de Alimentação Escolar. “Estamos atendendo o Banco de Alimentos e almejamos ampliar o campo de atuação, abrangendo a merenda escolar e a rede supermercadista”, destacou.

A presidente do CAE enfatizou quanto à legislação atual que prevê a obrigatoriedade do município investir 30% do recurso recebido via repasse do FNDE em gêneros alimentícios oriundos da agricultura familiar, que pode chegar a R$ 500 mil. “Infelizmente, nossos produtores locais não conseguem atender a esta demanda. É nosso desejo que este recurso seja investido na compra de produtos produzidos localmente, por isso o CAE é solidário ao Comusan nesta discussão para aperfeiçoarmos esta relação de compra e venda”, afirmou Fabiana.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password