Médicos poderão solicitar exames de HIV e sífilis em qualquer consulta médica

Recomendação é do Conselho Federal de Medicina, que pretende derrubar tabu e antecipar o diagnóstico dessas infecções

A partir de agora, nos pedidos de exames de sangue convencionais, os médicos das unidades de saúde poderão incluir testagens para HIV, sífilis e hepatites B e C. A recomendação foi feita pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) neste mês de março.

De acordo com a coordenadora do Programa DST/ Aids de Votuporanga, Léa Bagnola, várias campanhas estão sendo feitas junto aos médicos da rede básica, para que solicitem esses procedimentos em qualquer consulta médica.

A coordenadora diz que a proposta, segundo o Conselho Federal de Medicina, é derrubar o tabu sobre o tema e antecipar o diagnóstico dessas infecções. “Este é mais um passo. O diagnóstico tardio precisa diminuir para aumentar a vida”, esclarece.

Esses exames são convencionais e devem ser solicitados pelo próprio médico. “Muitos pacientes percorrem as unidades de saúde com sinais e sintomas de HIV/Aids, e ninguém pensa na possibilidade; por isso a necessidade da solicitação desses exames por parte dos médicos. Esta é a novidade da orientação do Conselho Federal de Medicina, desmistificar a abordagem”, explica Léa. 

A solicitação não será obrigatória, entretanto, o médico é orientado a conversar e sensibilizar o paciente. A indicação poderá ser feita por médicos de qualquer especialidade, mesmo em consultas que não estejam relacionadas à DSTs, à urologia, ginecologia ou correlatas. A prática sexual deve ser investigada. “A recomendação também não obriga os médicos a tocarem no assunto, mas o conselho espera ampla adesão da categoria”, conta a coordenadora. 

Os testes de sorologia para HIV, sífilis e hepatites B e C são oferecidos na rede pública de saúde e, por isso, não devem representar custo adicional ao paciente.  

A recomendação pode contribuir para o número real de pessoas infectadas por essas doenças transmitidas, na maior parte dos casos, pelo contato sexual sem proteção. O Ministério da Saúde estima que 150 mil brasileiros vivam com HIV sem saber. Em 25% dos casos diagnosticados, a doença só é identificada em “estágio avançado de imunossupressão”, quando o organismo já está debilitado.

 Em Votuporanga, os pacientes quando diagnosticados com algumas dessas infecções são encaminhados diretamente ao Serviço de Atendimento Especializado (SAE) DST/Aids. O atendimento é feito na hora e o acolhimento sigiloso é realizado por uma equipe multiprofissional de saúde. 

O SAE está localizado na Rua Minas Gerais nº 1850 – bairro São João e atende pelo  3405-1584. O funcionamento da unidade é de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password