Médico defende o acesso ao trabalho para deficientes

Presidente da Associação Comercial também falou de um projeto que a entidade realiza para incentivar estas contratações

 

O médico ortopedista Flávio Henrique Nuevo Benez dos Santos foi um dos palestrantes da IV Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência realizada na manhã de ontem em Votuporanga. O profissional, que é tetraplégico, é também especialista em ortopedia e traumatologia no serviço de reabilitação Lucy Montoro em Fernandópolis, que atende 52 municípios da região.

De acordo Flávio, no Lucy Montoro há dois projetos, o de reabilitação dos pacientes e também um de inclusão social. “A deficiência deixou de ser um problema sem solução. As pessoas precisam deixar de ter pena do deficiente e ajudar na inclusão do mesmo no mercado de trabalho”, disse.

Outra palestrante do evento foi Valéria Anciães Massa, especialista e perita em restauro e autenticidade de Obras de Artes. “Venho trazer a importância dos poderes pela tutela dos portadores de deficiência. Sou mãe de um deficiente físico e vejo que a sociedade e o Poder Público precisam ter um olhar diferente para essas pessoas. A deficiência física é uma questão de memória, pois eles não podem ser esquecidos, e de memória sou especialista”, contou.

O procurador federal do INSS de Votuporanga, Edgard Pagliarani Sampaio, também ministrou uma palestra durante o seminário. “Há certos benefícios que todo portador de deficiência tem o direito de receber do governo. Mesmo não tendo contribuído com o INSS, o portador pode requerer um auxílio chamado benefício de prestação continuada”, disse.

O anfitrião do encontro, o secretário de Direitos Humanos, Emerson Pereira, ressaltou a importância da conferência. “Nada mais justo do que sairmos na frente com esse grande evento, dada a importância pela busca dos direitos da pessoa com deficiência. Espero que depois destas palestras, possamos sair daqui com bons projetos, e quem ganha são as pessoas que mais necessitam, que são os deficientes”.

Emerson também falou sobre o papel da comunidade para garantir esses direitos. “Não podemos deixar os deficientes esquecidos, por isso é muito importante a sociedade também fazer a sua parte incluindo os mesmos em vagas de trabalho, assim como o Poder Público tem o seu dever de ajudar”, completou.

Ao final da Conferência, o presidente da Associação Comercial de Votuporanga, Márcio Ramalho Matta falou sobre um projeto que a entidade está realizando que incentiva o comércio na contratação de deficientes físicos.

Isabela Jardinetti

isabela@acidadevotuporanga.com.br

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password