Mato alto e acostamento ruim dificulta tráfego na Péricles

O mato alto, a falta de acostamento de sinalização são os principais problemas dos motoristas que trafegam diariamente pela rodovia Péricles Belini (SP-461), que liga Votuporanga a Cardoso. Embora em menor escala, o problema também se repete na rodovia Euclides da Cunha (SP- 320).

O Diário seguiu em trechos pelas duas rodovias que passam por Votuporanga e constatou que em pelo menos três partes da Euclides da Cunha, no caminho que vai de Votuporanga a Tanabi, o mato alto dificulta a leitura das placas de sinalização.

As principais placas atingidas são os avisos de “Saída de Veículos Longos” e as que informam a quilometragem ao longo do caminho. A leitura da placa só se torna possível quando o motorista está muito próximo, o que dificulta o desempenho.

“A sinalização tem que estar visível de longe. Os impostos nós pagamos, então isto aqui era para estar um brinco”, disse Pedro Teodoro, 46 anos, motorista que passa pela rodovia quatro vezes por semana.

 

SP-461

Outra rodovia em que os motoristas sofrem com o mesmo problema é a Péricles Belini. Ao longo dos mais de 30 quilômetros há poucas placas com informações sobre o trajeto. Em pelo menos sete pontos, a reportagem pode constatar que o mato alto dificultava a leitura. Neste caso as principais placas tampadas pelo mato são de “Proibido Ultrapassar”. A pista ainda não é duplicada.

Na Péricles, soma-se ao problema do mato alto, o estado do acostamento. Em muitos trechos pela rodovia, como do quilômetro 134 ao 140, não há acostamento. Em outro, ele é visível, mas possui buracos e elevações.

O Departamento de estradas de Rodagem (DER), responsável pela manutenção de ambas às rodovias, informou por meio de assessoria que é realizada rotineiramente manutenção nas pistas.

“Este serviço é realizado pela equipe de conservação contratada por meio de licitação com objetivo de garantir as condições da pista e trafegabilidade da via. São realizados, de acordo com cronograma pré-determinado e com as necessidades que a rodovia apresenta, operações tapa buracos, limpeza da pista e do sistema de drenagem e roçada dos acostamentos”, disse.

Segundo o DER está sendo elaborado um projeto de melhorias para a Péricles Belini, em um trajeto de 70,56 quilômetros que está previsto para ser licitado em outubro deste ano. O trecho inclui faixas adicionais nas cidades de Nhandeara, Votuporanga, Álvares Florence e Cardoso.

O valor previsto para ser investido na reforma é de R$ 105, 8 milhões. Mesmo que o projeto seja aprovado ainda não há previsão de início das obras.

(Colaborou Glaucia Moraes)

 

Créditos: Alex Pelicer

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password