Mais de 100 pais deixam trabalho por falta de vaga

Neste ano, aproximadamente 200 crianças provenientes de outros municípios e Estados foram atendidas na cidade

Que há poucas pagas em creches em Votuporanga, toda a população sabe, o problema aumenta ao afetar os pais, que estão deixando o trabalho para cuidar dos filhos. Atualmente, a cidade tem 1.772 alunos em creche, são crianças com idade de 0 a 3 anos. Maria Augusta Caetano Marques, presidente do Sincomerciários (Sindicato dos Comerciários de Votuporanga), foi comunicada por mais de 100 pessoas que elas precisaram parar de trabalhar para cuidar dos filhos neste ano.

Lia ressaltou ainda que há anos cobra a implantação de uma creche com horário diferenciado para atender aos filhos dos comerciários. “Até o momento, não tive nenhuma resposta quanto a efetivação desta proposta”, contou.

A presidente do Sindicato contou ainda que foi procurada por uma mãe, que volta ao emprego no dia 28 deste mês, mas até agora não tem onde deixar a criança.

O vereador Edilson Pereira Batista também recebe muitas reclamações. “A quantidade de pessoas que buscam vagas em creche e não consegue é incalculável”, contou.

Fim do problema

A Secretaria Municipal de Educação explicou que, para o próximo ano letivo, pretende atender toda a demanda reprimida da creche, pois os alunos na faixa etária da Pré-Escola e Ensino Fundamental são 100% atendidos hoje.

Silvia Cristina Rodolfo, secretária da Educação de Votuporanga contou que neste ano de 2014, aproximadamente 200 crianças foram atendidas nas creches provenientes de outros municípios e Estados. Lembrando que foram criadas 590 vagas na rede municipal para crianças de 0 a 5 anos em 2014, sendo que 350 surgiram com a progressão das crianças que mudaram de série, 40 no CEMEI “Prof Orozília do Carmo Ferreira”, e 200 no CEMEI “Profº Valter Peresi”.

Motivos da demanda

A secretária de Educação, Silvia Rodolfo, explicou que alguns fatores permitiram o aumento da demanda por vagas em creches nos últimos anos, sendo eles: “o aumento do número de migrantes que se instalam em nossa cidade a trabalho, a participação crescente da mulher no mercado de trabalho, e ainda o fato de quase não haver opções de matrículas (vagas) no setor privado ou em creches conveniadas”.

Silvia destacou ainda que a falta de vagas na Educação Infantil no Brasil é um desafio educacional permanente. Ela disse que o país possui aproximadamente 80% de crianças fora da creche, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Municípios (PNAD 2009, e do IBGE 2010). Historicamente a Educação Infantil não era vista como prioridade e muito recentemente passou a ser reconhecida por seus benefícios para a criança, principalmente após a aprovação da Emenda Constitucional nº 59 de 11 de novembro de 2009,  que torna o ensino obrigatório a partir dos 4 anos, a partir do ano letivo de 2016.

“Felizmente não temos a demanda reprimida para os alunos de 4 a 5 anos, tendo como desafio o atendimento integral das crianças de 0 a 3 anos. Ainda assim, a cidade de Votuporanga, já atingiu a meta prevista no Plano Nacional de Educação (PNE) (2001-2010), que era ter, até 2020, 50% das crianças de 0 a 3 anos matriculadas em creches, hoje já temos 62% de crianças de 0 a 3 anos frequentando as creches”, finalizou. Leidiane Sabino/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password