Mãe esquece a filha na creche pela 3ª vez

Uma menina de apenas dois anos foi esquecida numa creche do Parque Cidadania, na zona norte de Rio Preto, e está abrigada temporariamente no projeto Teia. Segundo o Conselho Tutelar, é a terceira vez em dois meses que a mãe não vai buscar a filha no final do expediente. Nas duas anteriores, a criança foi entregue à avó materna, que mora no bairro Nova Esperança, mas anteontem não foi localizada. O caso aconteceu na creche Neide Egéa Laguna. Em nota, a direção confirmou que no final da tarde de segunda-feira, após o encerramento das atividades, funcionários realizaram “diversas tentativas para localizar a mãe ou responsáveis pela menor M.A.L., de 2 anos. Sem sucesso nos procedimentos, por volta das 18h05, a creche acionou o Conselho Tutelar da região que tomou as medidas em favor da criança.”

A conselheira tutelar Dayani Aparecida Escroque disse que ainda hoje a criança deve ser entregue ao pai, que mora na cidade de Frutal (MG). Na segunda-feira, antes de encaminhar a menina a um abrigo, ela registrou boletim de ocorrência por abandono de incapaz contra a mãe, Angela Maria Alves de Arruda, 24 anos. A mãe da garota já tinha sido advertida formalmente no último dia 10 de setembro por ter deixado a filha na creche após o expediente e foi avisada pelo Conselho Tutelar que caso fosse registrada uma nova ocorrência ela perderia a guarda da criança.

O Diário esteve ontem na creche e funcionários confirmaram que até por volta das 15 horas ninguém ainda havia procurado pela menina. “Da última vez, a avó disse que tinha perdido o emprego e não poderia mais ficar com a neta se acontecesse de novo. Ontem (anteontem) ela não foi encontrada e a menina foi abrigada”, explicou Dayani. A criança está matriculada na creche desde abril e, segundo funcionários, é dócil e bastante inteligente. A mãe e o pai moravam em Rio Preto mas se separaram no início do ano e ele retornou para Frutal, onde mora sua família. O casal tem mais dois filhos, que já estão com ele. Um garoto de seis anos e uma menina, de cinco.

Segundo o Conselho Tutelar, a outra filha do casal foi entregue para pai no dia 9 de maio passado após ser agredida pela mãe. O garoto foi algum tempo antes. Ontem a delegada Dalice Aparecida Ceron, da DDM, disse que Angela deve ser intimada a prestar depoimento em breve. Ela adiantou que ainda é cedo para tratar o caso como abandono de incapaz. “Vamos ouvi-la primeiro. Até lá cabem as medidas administrativas que o conselho já tomou”, explica.

Segundo a Secretaria de Assistência Social, o Programa Teia (Trabalho de Emancipação da Infância e da Adolescência), onde a criança está abrigada, trabalha em parceria com a Vara da Infância e Juventude de Rio Preto e atende crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica que necessitam de afastamento do convívio familiar. Atualmente são oito casas que acolhem 70 menores, entre crianças e adolescentes. Além disso, o município conta ainda com 14 Famílias Acolhedoras, que abrigam 29 menores. “O tempo de permanência obedece a quesitos do poder judiciário”, afirma a assessoria.
O Diário não localizou ontem a mãe acusada de abandono. DiárioWeb

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password